Folk Lusitânia

Folk, Neo-clássico, New Age, World Music, Darkwave, Medieval, Música Étnica, Folk Metal, Symphonic Metal, Dark Ambient, Neofolk, Marcial.
 
InícioCalendárioFAQBuscarMembrosRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 "Beato Salu", a lenda viva da cidade de Évora

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
RedHead
Deus(a) da Lua (moderação)
avatar

Feminino
Aquário Dragão
N. de Mensagens : 2916
Idade : 28
Local : Olissipo/Liberalitas Julia
Raça : Elfo
Elemento : Terra/Rocha
Deus : Urano (Céu/Elevação/Perfeição)
Cor : Preto

MensagemAssunto: "Beato Salu", a lenda viva da cidade de Évora   Sex Jun 24, 2011 8:29 pm


(Autor desconhecido)



Todas as povoações têm as suas personagens da rua. São figuras que marcam, sem pedir autorização, as gentes que por elas passam; figuras que se fundem na cidade, nas suas ruas, nas suas lendas, nas suas noites, nos seus dias e nas memórias de quem os vive. E se há um homem que personifica nobremente todas estas características, ele é, sem sombra de dúvidas, o senhor de longos cabelos e barbas brancas que vedes na fotografia.

Apresento-vos Luís Pais Martins, mais conhecido por Beato Salu (e, também por vezes, por Gandalf, Merlin, e até Pai Natal, para os mais pequenos), a figura mais carismática da cidade de Évora. É um homem educado, inteligente, culto, gentil, sereno e também solitário, que percorre diariamente as ruas da cidade, desempenhando aquela que acredita ser a sua missão. Deambula pelas ruas calmamente e transmite paz por onde passa. Quem se cruza com ele, não fica indiferente à sua imagem mística, nem à sua docilidade e simpatia. Quem lhe sorri ou acena timidamente, recebe um cumprimento de volta; quem pára para conversar com ele, espanta-se com as palavras sábias e profundas deste homem da rua.

Graças ao fascínio e à curiosidade que o Beato Salu suscita, já muitos o fotografaram, desenharam e entrevistaram, dando-nos a conhecer a nós, comuns mortais, o reino da mente d’O Escolhido. Sem mais prosas nem demoras, vou tomar a liberdade de colocar aqui um pouco desse material, pois nada melhor do que essas recolhas para nos fazer entender a história e os mistérios do Beato Salu.




Foto de Maria José Barão


Citação :
Parece um druida, de barbas e cabelos brancos, olhar macio, pose contemplativa. Usa um discurso profético, muitas vezes místico. É inevitável pensar que Luís Pais Martins tem um apurado sentido estético. Afinal, ele passa uma parte dos seus dias num banco de jardim em frente ao Templo de Diana, ou então na Praça do Giraldo, ou no Jardim do Paraíso, que são alguns dos mais esplêndidos lugares da cidade. Ah, este homem poderia muito bem ter ganho a alcunha de Gandalf ou Merlin, se a sua ocupação das ruas estivesse datada uma década mais tarde. Mas ele começou a fazer-se notado nos anos 1980 e o povo de Évora preferiu chamá-lo de Beato Salu, como o vidente da novela Roque Santeiro.
Em bom rigor, Luís é eborense de gema. Fez ali a quarta classe e aos 12 anos tornou-se grumo no Café Arcada. Foi lá que casou, foi lá que teve um filho. Foi lá que estabeleceu uma base para, durante anos, partir estrada fora como caixeiro viajante, vendendo electrodomésticos por todo o Alentejo. «Um dia, tive uma revelação. Foi a 12 de Maio de 1972 e eu tinha ido a Fátima. Olhei para o alto, vi um céu magnífico e senti uma paz maravilhosa. Então afastei-me da multidão, comecei a andar e fui dar a um ribeiro. Nessa altura, as águas falaram comigo e disseram-me o que tinha de fazer.»
Há que ser justo nisto: Beato Salu é um homem inteligente. As suas palavras podem parecer inverosímeis mas, dando-lhe um pouco de voz, percebe-se que o sistema de convicções que ele criou é pelo menos coerente. Acredita nas energias da natureza e acredita ser uma espécie de Escolhido. Acredita ser o único capaz de alterar o destino, a ordem natural das coisas. E acredita nisso convictamente.
Em 1972, as águas disseram-lhe para abdicar da vida tal como a conhecia. Abandonou a família, o trabalho, e começou a sua missão. Ao longo dos anos seguintes desfez-se da casa, de quaisquer relações próximas, dos livros que o tinham inspirado – e que ainda cita muitas vezes. E continuou a falar com as águas, com o vento, com o Sol, a quem chama reis: «A determinada altura, um rei disse-me que ia haver uma grande mortandade em Évora e eu tive uma visão da cidade destruída, física e moralmente. Percebi pelos sinais que se aproximava um tremor de terra de grau nove na escala de Richter e então comecei a passar o tempo todo na rua, para proteger a cidade.» Mais tarde, leu no jornal que houvera um sismo de grau três, que não tinha provocado quaisquer danos humanos ou materiais. «O terramoto foi descontado no meu corpo», esclarece.
Beato Salu chama-se a si mesmo de O, porque essa é a forma mais perfeita da natureza. «Um O», explica ele, «tem um valor biológico superior à própria existência e por isso consegue controlar os acontecimentos, é independente em relação ao cosmo.» E assegura que, em cada século que passa, não haverá no mundo mais de dois ou três escolhidos como ele. «Quando os reis me nomearam O, havia dois candidatos europeus, um português e um jugoslavo. Mas não pode haver mais do que um na Europa e, como me escolheram a mim, a Jugoslávia entrou em guerra e desintegrou-se. Não quero imaginar o que teria acontecido ao nosso país se eu não fosse chamado.»
Não bebe, não fuma, não toma drogas. Há umas semanas foi expulso do casebre onde passava as noites, num bairro da cidade. E, se alguém lhe pergunta o que vai fazer, ele encolhe os ombros e replica: «Não tenho tempo para pensar nisso, estou ocupado com outros trabalhos.» Para todos os efeitos, há mais de trinta anos que este homem é fiel ao seu compromisso. E isso é quase metade da sua vida, que Luís Pais Martins tem 69 anos.
Quando ouviu as notícias de que o país estava à beira da bancarrota, começou a passar todos os dias pela delegação do Banco de Portugal em Évora, para abater em si a hecatombe económica. Quando toma conhecimento de uma epidemia, faz o circuito dos hospitais e dos centros de saúde, para travar a peste. Se há uma onda de assaltos, gira para a esquadra de polícia. E então caminha os dias inteiros de um lado para o outro, a salvar o mundo. E se por algum motivo pára num banco de jardim, não é para descansar. É para recarregar energias nos seus reis e poder continuar a descontar no corpo as maleitas da humanidade.
In Notícias Magazine, Fora de Série #3
02/05/10
Por Ricardo J. Rodrigues





Foto de Maria José Barão



Citação :
Há 7 anos encontrei o Luís junto à montra da Livraria Nazaré.
Tinha com ele o livro"O Diário de um Mago" do escritor brasileiro Paulo Coelho.
Não conhecia o livro ,apenas tinha lido até então "O Alquimista".
O Luís afirmou,resumidamente,tratar-se de umas "estórias" relativas à experiência do escritor aquando da sua caminhada pelo Caminho Francês a Santiago de Compostela.
Disse-me,então:caminhar ou peregrinar pela vida é o destino de cada um/maktub(está escrito).....
Não mais esqueço o brilho do seu olhar nesse dia...

Entrei e comprei um exemplar.
à saída o Luís escreveu uma dedicatória"OS SINAIS DA VIDA SÃO COMO OS SINAIS DE TRÂNSITO:POR VIA DAS DÚVIDAS,MELHOR SERÁ RESPEITÁ-LOS.
Comentário retirado do blog oxiclista.



Óleo de Ana Nunes, inspirado na fotografia de Maria José Barão


Fazendo uma pesquisa pela internet, é possível encontrar facilmente mais fotografias e testemunhos daqueles que admiram o Beato Salu, e também discussões e muita controvérsia acerca do seu modo de vida. Até no Facebook foi criada uma página em sua homenagem. Convido-vos a visitarem a página e a darem uma vista pelo mural, para, através das mensagens lá deixadas, verificarem que é uma pessoa bastante querida por todos os eborenses.




Foto de Jordi de Burch / Kameraphoto


Ninguém sabe ao certo que poderes tem, se possuirá magia ou apenas loucura… Mas ninguém duvida de que tem uma aura à sua volta. Será um profeta? Um filósofo? Um louco, talvez… Uma figura êxtasiante, definitivamente. Smile





Citação :
Some people never go crazy. What truly horrible lives they must lead.
Charles Bukowski

E, a propósito da loucura e das loucuras de cada um, permitam-me terminar com uma sugestão de leitura: O Alienista, de Machado de Assis.




*FIM*

_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://dianarosa.wix.com/diana-rosa
Signatus
Deus(a) da Lua (moderação)
avatar

Masculino
Virgem Dragão
N. de Mensagens : 2724
Idade : 28
Local : Ofiussa
Raça : Lobitroll
Elemento : Terra/Rocha
Deus : Deméter (Terra/Natureza/Estações)
Cor : Verde

MensagemAssunto: Re: "Beato Salu", a lenda viva da cidade de Évora   Sex Jun 24, 2011 9:37 pm

Não é Lisboa que tem direito a ter os seus loucos, tá Razz
Pelo que sei é boa pessoa e adiciona bastante é mistica Éborence. Por acaso nunca meti conversa com ele mas tenho uma certa admiração pelo homem Very Happy
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Averróis
Deus(a) da Lua (moderação)
avatar

Masculino
Sagitário N. de Mensagens : 3508
Idade : 818
Local : Córdoba

MensagemAssunto: Re: "Beato Salu", a lenda viva da cidade de Évora   Sab Jun 25, 2011 3:52 am

Aahah great. Very Happy
Há sempre umas personagens caricatas aqui e acolá. Smile

_________________

· Website | Bandcamp | SoundCloud | Last.fm ·
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://undogmatic.net78.net/
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: "Beato Salu", a lenda viva da cidade de Évora   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
"Beato Salu", a lenda viva da cidade de Évora
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» O Último Guardião: E a lenda começa
» Avatar a Lenda de Aang
» [M.E.P] O Surgimento de Uma Lenda
» Castlevania a lenda do chicote negro da destruição
» Los Angeles, a cidade dos ``anjos´´

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Folk Lusitânia :: Parte Sul :: Templo do Conhecimento-
Ir para: