Folk Lusitânia

Folk, Neo-clássico, New Age, World Music, Darkwave, Medieval, Música Étnica, Folk Metal, Symphonic Metal, Dark Ambient, Neofolk, Marcial.
 
InícioCalendárioFAQBuscarMembrosRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 Anarquia

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Fundador (ex-Váli)
Deus(a) do Sol (administração)
avatar

Masculino
Áries Cobra
N. de Mensagens : 2041
Idade : 28
Local : Lisboa
Raça : Ent/Povo das Árvores
Elemento : Madeira
Deus : Poseidon (Mar/Ideologia/Sonho)
Cor : Verde

MensagemAssunto: Anarquia   Ter Jun 11, 2013 4:43 pm

Anarquia é tão somente a ausência de estado, não confundir com "desordem" ou ausência de leis.

Muitas das vezes a palavra anarquia é confundida ou mal interpretada, partindo de uma ideia base de que na ausência de estado seria o caos ou a lei do mais forte. Os anarquistas defendem-se de que a anarquia é muito mais complexa do que simplesmente isso. Assim dentro do movimento existem varias derivações que se debruçam precisamente sobre estes problemas oferecendo alternativas.

De entre vários princípios as instituições seriam "governadas" por colectividades sem hierarquias. Imaginando o caso da restauração, os restaurantes estariam associados, (ou não depende da vertente anarquista), numa colectividade (a qual teria um nome como a "ordem dos médicos"). Esta colectividade teria o objectivo de, juntos, protegerem-se contra o imperialismo das multinacionais promovendo medidas de apoio entre elas, ou seja, uma espécie de ministério da restauração mas sem hierarquias. Cada restaurante teria assim de contribuir com uma porção dos seus lucros, algo que seria feito por acordo ou contrato, para as iniciativas colectivas, onde as maiores dariam mais dinheiro em troca de outros benefícios (como uso da marca).

Com a educação seria a mesma coisa: as escolas seriam técnicas em vez do ensino normal, e estas seriam pagas pelos que usufruíssem destas e/ou pela comunidade. Lembremos apenas alguns pontos
1) Sem a existência de estado o nosso salário duplicaria (porque não existe impostos, este seria de cerca 1200 minimo). As pessoas contribuiriam colectivamente sendo que as mais avantajadas, por acordo ou contrato, contribuiriam mais.
2) As escolas seriam vistas como um investimento aparecendo espontaneamente, por interesse ou pelo esforço da população.
3) Nas escolas independentes as propinas são de 200 euros (o mesmo que nas publicas, sobrariam portanto 1000 euros no salário da pessoa).

Imaginando que dentre os 1000 euros que restam seriam precisos 100 para a policia, 100 para os bombeiros e e 200 para os hospitais ficaríamos ainda com um salário de 600 euros, isto tendo em conta apenas aqueles que ganham o salário mínimo. Alguém que ganhe cerca de 1000 euros ficaria com um ordenado de cerca de 2000 euros, pelo que poderia contribuir com 1000 euros para a comunidade.



Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://folklusitania.heavenforum.com
Kraft durch Freude
Herói/Heroína mitológic@
avatar

N. de Mensagens : 2053
Raça : Ent/Povo das Árvores
Deus : Ares (Guerra/Heroísmo/Conquista)

MensagemAssunto: Re: Anarquia   Ter Jun 11, 2013 8:36 pm

E quem se quisesse encostar aos outros, sem trabalhar?
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Marçal
Guerreiro/Guerreira


Masculino
Câncer Gato
N. de Mensagens : 34
Idade : 29
Local : Careaçu Mg Brasil
Raça : Anjo
Elemento : Ar
Deus : Hermes (Engenho/Pensamento/Arte)
Cor : Azul Céu

MensagemAssunto: Re: Anarquia   Qua Jun 12, 2013 1:01 am

O único problema é que para isso seria necessário que todos da população fossem 100% justos caso contrario sempre existiriam aqueles que tirariam proveito dos outros.
Eu acredito seriamente que o melhor governo seria um no qual houvesse um governante 100% justo mas para isso teria que ser um deus, e acredito que não temos nenhum disposto no momento.
Voltando para o debate acima como já disse o salario não dobraria, mesmo sem os gasto exorbitantes do governantes, ainda teríamos que pagar seus salários e todas as despesas publica, aqui no Brasil ganharíamos apenas 27% a mais.
Acredito ser impossível com a consciência atual da população.
Quanto ao estudo não sei como é em Portugal, mas no Brasil o ensino é voltado para que todas as pessoas sejam iguais e medíocres, visando não ter desigualdade e muito menos gênios. Tudo que temos é um pouco de informação igual para todos, durante o ano letivo, independente se você assimila tudo em 3 meses ou 2 anos.
Sempre fui o melhor aluno da minha sala e uns dos melhores da escola, fiz curso técnico também e o que aprendi no técnico foi apenas o básico do básico para ser empregado, não chegando nem perto dos ensinamentos dos meus pais que são comerciantes.
Concluindo somo e temos apenas o que temos condições de ser e ter.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Fundador (ex-Váli)
Deus(a) do Sol (administração)
avatar

Masculino
Áries Cobra
N. de Mensagens : 2041
Idade : 28
Local : Lisboa
Raça : Ent/Povo das Árvores
Elemento : Madeira
Deus : Poseidon (Mar/Ideologia/Sonho)
Cor : Verde

MensagemAssunto: Re: Anarquia   Qua Jun 12, 2013 3:17 pm

As soluções para esses problemas são diferentes de corrente para corrente de pensamento. Mas existem várias:

1) uso de coerção (policia e trtibunais) para obrigar as pessoas a darem o seu dinheiro (a anarquia não abule a existencia de policia nem o uso desta para fins financeiros, apenas em vez de pagarmos ao estado pagariamos à coelctividade).
2) Segundo alguns anarquistas a educação e a conscielização das pessoas seria suficiente só por si (o que me parece utopico)
3) Caso a pessoa não pagasse não usofruia dos direitos que tem na comunidade. Não teria acesso a educação, saude etc. 

Outro argumento que me parece bem é que deixaria de existir camaras municipais sendo estas substituidas por voluntarios. O que ajudaria às contas. 

Marçal enquanto o ser humano não viver num paraiso é sua obrigação tentar criar as melhores condições possiveis para melhorar a nossa sociedade. Esse é o proposito da nossa existencia: deixar o mundo melhor para as proximas gerações. Penso que será também o que um ser divino, eticamente perfeito, queira para nós e queira que nós façamos, mesmo sem a Sua ajuda. 

Aqui em Portugal nós ganhariamos 60% mais (ou seja 60% do que trabalhamos vai para o estado)

Em Portugal o ensino é mais elitista. A media para entrar em medicina é de 19 e tirar um 19 aqui é um privilegio que só a alguns diz respeito (ou a quem tiver dinheiro para isso). Tive uma colega brasileira que estava acostumada a tirar notas quase maximas e quando veio para Portugal tirava apenas 12 (de 0 a 20). Depois aqui também existem pessoas (bons alunos) que criticam a escola por esta não ir de encontro aquilo que consideram mais importante. Galileu por exemplo saio da faculdade e tornou-se autodidacta. Nietzche (filosofo alemão) dizia que a escola é feita de "uma geração mediocre que cria uma geração cada vez mais mediocre" fomentando os conhecimentos para exercerem funções mas não criando verdadeiros sabios. 

Eu pessoalmente acho que a escola é dificultada ao maximo, mas apenas para o ensino publico, porque no ensino privado é uma questão de dinheiro. Por questões ideologicas os ministros usam a escola para beneficiar quem tem dinheiro e prejudicar os pobres. As materias são selecionadas para motivar os da sua classe (lembro-me de dar por exemplo vulcões em geologia e de aprender a medir terramotos, algo muito util diga-se) e mesmo os professores têm preconceitos em relação às classes sociais (alguns não todos) beneficiando muitas vezes os alunos por serem disciplinados e não pelas suas capacidades. (talves isto dê para um topico sobre educação, acho que ja existe um xD)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://folklusitania.heavenforum.com
Marçal
Guerreiro/Guerreira


Masculino
Câncer Gato
N. de Mensagens : 34
Idade : 29
Local : Careaçu Mg Brasil
Raça : Anjo
Elemento : Ar
Deus : Hermes (Engenho/Pensamento/Arte)
Cor : Azul Céu

MensagemAssunto: Re: Anarquia   Qua Jun 12, 2013 6:53 pm

Concordo que muitas das matérias são inúteis, mas o papel da escola atual é basicamente esse mesmo, ensinar um pouco de cada matéria para que mais para frente ela possa lida com mais facilidade ao tratar desse assuntos. Acredito que a formação pratica para vida deve ser dada pelos pais. 
Sobre aquela soluções acima, não dão certo é totalmente ilógico retirar o dinheiro de alguém que trabalhou.
A maioria das pessoas hoje em dia não se dedicariam se soubessem que não iriam ganhar a mais por isso.
Se fossem obrigado a dar seu dinheiro aos "governantes anarquistas" seria o mesmo que pagar tributos.
Se o dinheiro fosse confiscado as pessoas começariam a guardar tudo em suas casa, como comida e eletrônicos.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Kraft durch Freude
Herói/Heroína mitológic@
avatar

N. de Mensagens : 2053
Raça : Ent/Povo das Árvores
Deus : Ares (Guerra/Heroísmo/Conquista)

MensagemAssunto: Re: Anarquia   Qua Jun 12, 2013 8:49 pm

Não me respondeste, Váli.

Supõe, por exemplo, que sou um vendedor de fruta. Porque raio não hei-de eu vender fruta podre, se vou ter garantida a minha subsistência? Que incentivo tenho em ser agradável para os clientes se o estado me vai garantir o bolso cheio, quer eu mexa uma palha ou não?

O grande problema que eu vejo neste tipo de sistemas é que a grande maioria da população iria desleixar-se e não se ia importar com os outros (como, aliás, já acontece actualmente). Os que trabalhassem e sentissem que davam o litro iriam sentir que estavam a trabalhar para os outros (o que aliás, já acontece actualmente)... E com isso os esforçados teriam cada vez menos vontade de dar o litro, tornando-se como os outros, ou emigrando (familiar, não?).

Como é que isto pode ser sustentável?
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Fundador (ex-Váli)
Deus(a) do Sol (administração)
avatar

Masculino
Áries Cobra
N. de Mensagens : 2041
Idade : 28
Local : Lisboa
Raça : Ent/Povo das Árvores
Elemento : Madeira
Deus : Poseidon (Mar/Ideologia/Sonho)
Cor : Verde

MensagemAssunto: Re: Anarquia   Qui Jun 13, 2013 8:58 am

Oua mas acho que estão a perceber mal. Sem trabalho não haveria saude, educação, habitação, segurança social etc...o vendedor de frutas teria, para trabalhar, varios motivos.
1) Ambição de ter uma vida melhor
2) A obrigação de contribuir para a comunidade (imposta por lei).
3) Teria contas para paguar como a agua, luz (embora tivesse uma melhor qualidade de vida e mais algum dinheiro)

Não existiria governadores anarquistas mas voluntarios de associações. Já repararam que existem milhares de Camaras Municipais e Juntas de Freguesia que poderiam ser substituidas assim como os gastos do governo?

Por exemplo, um senhor que tem uma mercearia numa aldeia não tem a obrigação de contribuir para criar estadios de futebol na capital. Ele tem o direito de escolher em que investir o seu dinheiro, e se quiser, que o seu dinheiro seja aplicado na sua aldeia, em vez de no litoral. Isto daria uma maior qualidade de vida às pessoas das aldeias assim como poder de decisão, o que não acontece no momento.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://folklusitania.heavenforum.com
Marçal
Guerreiro/Guerreira


Masculino
Câncer Gato
N. de Mensagens : 34
Idade : 29
Local : Careaçu Mg Brasil
Raça : Anjo
Elemento : Ar
Deus : Hermes (Engenho/Pensamento/Arte)
Cor : Azul Céu

MensagemAssunto: Re: Anarquia   Qui Jun 13, 2013 6:19 pm

O dinheiro que o senhor da aldeia paga para a construção do estadio é muito menor do que o dinheiro investido em uma aldeia.
As grandes cidades sustentam as pequena por que além produzirem pouco a sonegação é muito maior. Mas não sou contra você vou postar um vídeo que mudou minha vida e fez entender como o ser humano pode evoluir na questão social.
Por favor assista tenho certeza que vai adorar.

Esse cara Jacque Fresco é um gênio na minha opinião.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Anarquia   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Anarquia
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Folk Lusitânia :: Parte Sul :: Academia de Filosofia-
Ir para: