Folk Lusitânia

Folk, Neo-clássico, New Age, World Music, Darkwave, Medieval, Música Étnica, Folk Metal, Symphonic Metal, Dark Ambient, Neofolk, Marcial.
 
InícioCalendárioFAQBuscarMembrosRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 O lado negro das redes sociais

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Fundador (ex-Váli)
Deus(a) do Sol (administração)
avatar

Masculino
Áries Cobra
N. de Mensagens : 2041
Idade : 28
Local : Lisboa
Raça : Ent/Povo das Árvores
Elemento : Madeira
Deus : Poseidon (Mar/Ideologia/Sonho)
Cor : Verde

MensagemAssunto: O lado negro das redes sociais   Sab Jun 12, 2010 10:59 am

Um video aqui
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://folklusitania.heavenforum.com
Aelle
Mestre
avatar

Masculino
Libra Porco
N. de Mensagens : 748
Idade : 33
Raça : Hobbit
Elemento : Terra/Rocha
Deus : Cronos (Tempo/Ordem/Lei)
Cor : Azul Escuro

MensagemAssunto: Re: O lado negro das redes sociais   Dom Jun 13, 2010 12:41 am

Por acaso vi esse programa. Falar Global, na Sic Notícias.

Já tinha visto há um ano, um ainda mais chocante, relativo à realidade virtual espanhola. Mas não era acerca das redes sociais (facebook, hi5, principalmente), mas sim de chats mais comuns. Há casos de assédios imediatos, de indivíduos de meia idade a miúdas de 13, 14 anos. E claro, tipos que constroem personagens, passam-se por rapazes mais novos, para que as raparigas vão ter com eles, etc.

Nessa lógica, penso que as redes sociais acabam por ser bem mais seguras que os "antigos" chats. Género IRC, e todos os outros. Os miúdos (e miúdas!) estão conectados com os amigos, muitas vezes até com a própria família, e não é assim tão fácil fazer assédios sem suscitar suspeitas. Se não pela vítima do assédio, pelos ditos amigos ou familiares.

Sempre me fartei de ver miúdas de 14 e 15 anos nas discotecas e nos bares, a beber os mesmos shots e outras bebidas alcoólicas que os adultos.

Sendo que este é cada vez mais um mundo de predadores sexuais e financeiros, dentro dos caminhos de risco, estou certo que as redes sociais acabam por ser um mal menor. O grande problema é mesmo o vício que causam em muita gente. Até porque é possível colocar as páginas pessoais em modo privado. Quanto ao resto, enfim, os pais que abram os olhos e se interessem minimamente pelas vidas dos filhos, e por aquilo que eles fazem. Seja na internet, seja na vida real, etc. Basta deixar um grupo de miúdas ir a um Rock in Rio, por exemplo, que ficam logo sujeitos a que qualquer tipo de estranhos meta conversa com elas, as "persiga", alicie, etc.

E enfim, um última chamada de atenção. Os miúdos agora estão bem mais informados dos perigos do mundo, do que há 50 anos atrás. São inteligentes para umas coisas, e não são para outras?

Get smart!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Fenris
Rei/Rainha


N. de Mensagens : 1168
Raça : Hobbit
Elemento : Terra/Rocha
Deus : Hades (Submundo/Pranto/Morte)
Cor : Azul Escuro

MensagemAssunto: Re: O lado negro das redes sociais   Ter Ago 17, 2010 10:28 am

Aelle escreveu:
Por acaso vi esse programa. Falar Global, na Sic Notícias.

Já tinha visto há um ano, um ainda mais chocante, relativo à realidade virtual espanhola. Mas não era acerca das redes sociais (facebook, hi5, principalmente), mas sim de chats mais comuns. Há casos de assédios imediatos, de indivíduos de meia idade a miúdas de 13, 14 anos. E claro, tipos que constroem personagens, passam-se por rapazes mais novos, para que as raparigas vão ter com eles, etc.

Nessa lógica, penso que as redes sociais acabam por ser bem mais seguras que os "antigos" chats. Género IRC, e todos os outros. Os miúdos (e miúdas!) estão conectados com os amigos, muitas vezes até com a própria família, e não é assim tão fácil fazer assédios sem suscitar suspeitas. Se não pela vítima do assédio, pelos ditos amigos ou familiares.

Sempre me fartei de ver miúdas de 14 e 15 anos nas discotecas e nos bares, a beber os mesmos shots e outras bebidas alcoólicas que os adultos.

Sendo que este é cada vez mais um mundo de predadores sexuais e financeiros, dentro dos caminhos de risco, estou certo que as redes sociais acabam por ser um mal menor. O grande problema é mesmo o vício que causam em muita gente. Até porque é possível colocar as páginas pessoais em modo privado. Quanto ao resto, enfim, os pais que abram os olhos e se interessem minimamente pelas vidas dos filhos, e por aquilo que eles fazem. Seja na internet, seja na vida real, etc. Basta deixar um grupo de miúdas ir a um Rock in Rio, por exemplo, que ficam logo sujeitos a que qualquer tipo de estranhos meta conversa com elas, as "persiga", alicie, etc.

E enfim, um última chamada de atenção. Os miúdos agora estão bem mais informados dos perigos do mundo, do que há 50 anos atrás. São inteligentes para umas coisas, e não são para outras?

Get smart!
Pois, o pior é que agora a maioria parece que tem 19! Por isso é que eu já só saio para sítios a pagar... E bem, de preferência.


Deviam ter algum carimbo na testa ou alguma etiqueta bem grande e visível...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
DarkCapricorn
Cavaleiro/Dama
avatar

Masculino
Capricórnio Porco
N. de Mensagens : 184
Idade : 33
Local : Asgard
Raça : Hobbit
Elemento : Terra/Rocha
Deus : Poseidon (Mar/Ideologia/Sonho)
Cor : Azul Escuro

MensagemAssunto: Re: O lado negro das redes sociais   Qui Set 02, 2010 7:00 pm

a tecnologia existe, mas são as pessoas que utilizam essa tecnologia que a fazem boa ou má. eu estou inscrito em várias redes sociais e não tenho o minimo problema porque tenho consciencia de como as utilizar, e do proposito para que as utilizo. é tudo uma questão de bom senso, menos alarmismo, mais informação, menos panico.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.facebook.com/daniel.esgaio
Fenris
Rei/Rainha


N. de Mensagens : 1168
Raça : Hobbit
Elemento : Terra/Rocha
Deus : Hades (Submundo/Pranto/Morte)
Cor : Azul Escuro

MensagemAssunto: Re: O lado negro das redes sociais   Qui Set 02, 2010 7:02 pm

DarkCapricorn escreveu:
a tecnologia existe, mas são as pessoas que utilizam essa tecnologia que a fazem boa ou má. eu estou inscrito em várias redes sociais e não tenho o minimo problema porque tenho consciencia de como as utilizar, e do proposito para que as utilizo. é tudo uma questão de bom senso, menos alarmismo, mais informação, menos panico.
E menos vida xD.


(Joking Wink)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Averróis
Deus(a) da Lua (moderação)
avatar

Masculino
Sagitário N. de Mensagens : 3508
Idade : 818
Local : Córdoba

MensagemAssunto: Re: O lado negro das redes sociais   Qui Set 02, 2010 7:39 pm

DarkCapricorn escreveu:
a tecnologia existe, mas são as pessoas que utilizam essa tecnologia que a fazem boa ou má. eu estou inscrito em várias redes sociais e não tenho o minimo problema porque tenho consciencia de como as utilizar, e do proposito para que as utilizo. é tudo uma questão de bom senso, menos alarmismo, mais informação, menos panico.

Apesar de concordar a 100% com o que escreveste, não deixo de ter críticas a tecer acerca da forma como certas e determinadas redes sociais lidam com os nossos dados pessoais, numa clara violação do direito que temos à privacidade. Uma dessas redes é o Facebook, que só recentemente colmatou algumas falhas incríveis nas suas políticas de privacidade, que geraram bastante polémica por aparentarem ser fruto de má fé e desrespeito por parte da gestão dessa rede social.

http://tek.sapo.pt/noticias/internet/perfis_de_100_milhoes_de_utilizadores_do_face_1081013.html
http://www.tvi24.iol.pt/tecnologia/facebook-privacidade-conta-tecnologia-ue-tvi24-/1162658-4069.html
http://www.ionline.pt/conteudo/60379-o-facebook-nao-matou-privacidade-nos-e-que-deixamos

Essa foi também a razão pela qual se criou a rede social "Diáspora", como uma alternativa mais confiável e com melhores políticas de privacidade:
http://dn.sapo.pt/inicio/ciencia/interior.aspx?content_id=1651503&seccao=Tecnologia

_________________

· Website | Bandcamp | SoundCloud | Last.fm ·
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://undogmatic.net78.net/
DarkCapricorn
Cavaleiro/Dama
avatar

Masculino
Capricórnio Porco
N. de Mensagens : 184
Idade : 33
Local : Asgard
Raça : Hobbit
Elemento : Terra/Rocha
Deus : Poseidon (Mar/Ideologia/Sonho)
Cor : Azul Escuro

MensagemAssunto: Re: O lado negro das redes sociais   Dom Set 05, 2010 11:01 am

Averróis escreveu:
DarkCapricorn escreveu:
a tecnologia existe, mas são as pessoas que utilizam essa tecnologia que a fazem boa ou má. eu estou inscrito em várias redes sociais e não tenho o minimo problema porque tenho consciencia de como as utilizar, e do proposito para que as utilizo. é tudo uma questão de bom senso, menos alarmismo, mais informação, menos panico.

Apesar de concordar a 100% com o que escreveste, não deixo de ter críticas a tecer acerca da forma como certas e determinadas redes sociais lidam com os nossos dados pessoais, numa clara violação do direito que temos à privacidade. Uma dessas redes é o Facebook, que só recentemente colmatou algumas falhas incríveis nas suas políticas de privacidade, que geraram bastante polémica por aparentarem ser fruto de má fé e desrespeito por parte da gestão dessa rede social.

http://tek.sapo.pt/noticias/internet/perfis_de_100_milhoes_de_utilizadores_do_face_1081013.html
http://www.tvi24.iol.pt/tecnologia/facebook-privacidade-conta-tecnologia-ue-tvi24-/1162658-4069.html
http://www.ionline.pt/conteudo/60379-o-facebook-nao-matou-privacidade-nos-e-que-deixamos

Essa foi também a razão pela qual se criou a rede social "Diáspora", como uma alternativa mais confiável e com melhores políticas de privacidade:
http://dn.sapo.pt/inicio/ciencia/interior.aspx?content_id=1651503&seccao=Tecnologia

tal como todas as redes sociais que crescem exponencialmente muito rapido (antigamente o hi5 e agora o facebook) começam a ser investigadas e os seus pontos fracos começam a ser expostos, e ainda bem, pois há muitas pessoas principalmente a menos informadas sobre este assunto que inocentemente vão colocando tudo e mais alguma coisa em espaços online para todo o tipo de pessoas entrarem pela janela dentro e verem, bom... praticamente tudo. por acaso o myspace, apesar de ter sido bastante investigado durante a sua ascensão, foi o unico que na minha opiniao, que não se desviou do seu caminho inicial: o de uniar há volta da música e restantes culturas pessoas que partilham os mesmos gostos e opiniões, que comentam e que conhecem eventos através da rede. posso dizer que conheci imensas bandas através do myspace, já troquei imensos mails com pessoal que nunca esperei trocar, mas com a avançar do tempo e com a expansão da rede isso vai-se perdendo um pouco, o que é natural, mas ainda se mantêm como uma rede social muito integra, onde ainda continuo a conhecer muitas bandas com qualidade, algumas curiosamente não têm sequer um contracto discográfico, e outras já firmadas mas que só agora lhes dei a devida atenção.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.facebook.com/daniel.esgaio
Averróis
Deus(a) da Lua (moderação)
avatar

Masculino
Sagitário N. de Mensagens : 3508
Idade : 818
Local : Córdoba

MensagemAssunto: Re: O lado negro das redes sociais   Sex Out 22, 2010 5:58 pm

Citação :
Facebook admite problemas de confidencialidade!

Facebook admitiu hoje que dados confidenciais de usuários foram transmitidos a empresas de publicidade e de rastreamento na internet.



Tudo começou no passado dia 17 quando o “The Wall Street Journal” fez uma reportagem em que revelou que dezenas de milhões de utilizadores tinham os seus dados pessoais em empresas de publicidade e de rastreio.

Tudo porque as aplicações de terceiros não cumpriam com as regras do Facebook que proíbem a partilha desses dados confidenciais. Mesmo até aqueles utilizadores que configuraram essas informações para ficarem privadas não escaparam.

As aplicações visadas são a Zynga FarmVille com 59,4 milhões de utilizadores, o Texas HoldEm com 36,3 milhões, o FrontierVille com 30,6 milhões, o Café World com 21,9 milhões, o Mafia Wars com 21,9 milhões, o Treasure Isle, com 15,3 milhões, o Phrases com 43,4 milhões de usuários, o Causes com 26,7 milhões, o Quiz Planet com 16,5 milhões e o IHeart com 14 milhões.

O engenheiro Mike Vernal anunciou que as principais companhias visadas já foram contactadas para arranjar “possíveis soluções”.

E esta? Que percentagem recebeu destes negócios?

http://www.kerodicas.com/noticias/artigo=39338/

_________________

· Website | Bandcamp | SoundCloud | Last.fm ·
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://undogmatic.net78.net/
Kraft durch Freude
Herói/Heroína mitológic@
avatar

N. de Mensagens : 2053
Raça : Ent/Povo das Árvores
Deus : Ares (Guerra/Heroísmo/Conquista)

MensagemAssunto: Re: O lado negro das redes sociais   Sab Out 23, 2010 9:12 pm

Podia jurar que não foi a primeira vez que estes "ups!"es aconteceram com o Facebook...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Manwë
Mestre
avatar

Masculino
Touro Galo
N. de Mensagens : 578
Idade : 24
Local : Bracara Augusta
Raça : Hobbit
Elemento : Terra/Rocha
Deus : Hermes (Engenho/Pensamento/Arte)
Cor : Cinzento

MensagemAssunto: Re: O lado negro das redes sociais   Dom Dez 12, 2010 6:24 pm

Têm um lado negro, é certo, mas não é suficiente para serem imediatament classificadas como "más". Actualmente possuo "apenas" conta no facebook e no twitter, e, além de não ter qualquer razão de queixa, já me foram de uma utilidade bastante grande.

É bom para mantermos contacto com pessoas que sabem mais do que nós, recolher informações sobre coisas que simplesmente não são encontradas na internet, mas que têm que ser contadas por alguém que as viveu, ouvir várias opiniões diferentes, etc.

E é de salientar que o twitter é excelente para lermos notícias. Fazemos logo uma triagem, e quase nem precisamos de ir aos sites dos jornais para lermos aquilo que nos interessa.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://whoknewindeed.wordpress.com
Kraft durch Freude
Herói/Heroína mitológic@
avatar

N. de Mensagens : 2053
Raça : Ent/Povo das Árvores
Deus : Ares (Guerra/Heroísmo/Conquista)

MensagemAssunto: Re: O lado negro das redes sociais   Dom Nov 13, 2011 10:31 pm

Relativamente ao assunto inicial deste tópico, concordo que é algo a ter em atenção. Mas não considero que uma pessoa com dois dedos de testa, que não se deixe enganar facilmente "na vida real", se deixe enganar facilmente na Internet. É uma questão de senso e de educação. Casos de abuso e aproveitamento da inocência dos outros irão existir sempre, e cabe a cada um saber "tratar de si".

Para mim, o lado mais negro das redes sociais está no facto de todos estarmos a aceitar passivamente que meia-dúzia de empresas possam saber tudo o que fazemos online e não só. Os problemas que o Averróis apresentou relativos às fugas de informação também são reais. Mas não são os únicos.

Faz-me muita confusão termos aceite que duas ou três multi-nacionais possam saber tudo o que fazemos diariamente, sem sequer pensarmos no assunto e aceitando esse facto passivamente, sem pestanejar. Por vezes pergunto a conhecidos: "se há dez anos te dissessem que tudo o que fazes num computador, toda a tua vida pessoal e todas as tuas conversas iam ser controladas por duas ou três multi-nacionais, como irias reagir?" - a resposta não me costuma surpreender.

Sempre que penso nisto, penso em apagar os meu perfis do Facebook, do Google, ... Mas depois lembro-me que também isso já é inútil. Com login activo ou não, já estou na rede. É triste, mas não vejo saída à vista a não ser desligar o cabo e isolar-me num local ermo... E também já tive menos vontade de o fazer.

Para reflectir...
Citação :
Why Facebook's new Open Graph makes us all part of the web underclass
If you're not paying for your presence on the web, then you're just a product being used by an organisation bigger than you. Facebook's latest plans, though, are really worrying

When you own a domain you're a first class citizen of the web. A householder and landowner. What you can do on your own website is only very broadly constrained by law and convention. You can post the content you like. You can run the software you want, including software you've written or customised yourself. And you can design it to look the way you want. If you're paying for a web hosting service and you don't like it (or they don't like you) you can pack up your site and move it to another host. Your URLs will stay the same and so your visitors won't notice. You get a great deal of freedom in return for the cost of running your own site. Your site could still be there in a decade's time, possibly even in a century.

If you use a paid-for web service at someone else's domain you're a tenant. A second class citizen. You don't have much control. You'll probably have to live with your landlord's furniture and decoration and a restrictive set of rules. Your content will only exist at these URLs for as long as you keep paying the same people that monthly fee and for as long as your provider stays in business. Experience tells me that this isn't very long. As a paying customer you'll have a few rights under your contract, but they probably won't amount to very much. When you leave you'll probably be able to get your data back in a useful format, but when you put it back on the web somewhere else you'll lose all your inbound links, search engine rankings and many of your visitors. This kind of service seems like a good deal until the day you need to move.


Welcome to the web underclass
When you use a free web service you're the underclass. At best you're a guest. At worst you're a beggar, couchsurfing the web and scavenging for crumbs. It's a cliché but worth repeating: if you're not paying for it, you're aren't the customer, you're the product. Your individual account is probably worth very little to the service provider, so they'll have no qualms whatsoever with tinkering with the service or even making radical changes in their interests rather than yours. If you don't like it you're welcome to leave. You may well not be able to take your content and data with you, and even if you can, all your URLs will be broken.

The conclusion here should be obvious: if you really care about your site you need to run it on your own domain. You need to own your URLs. You'll have total control and no-one can take it away from you. You don't need anyone else. If you put the effort in up front it'll pay off in the long run.

But it's no longer that simple.

Anyone who's ever run a website knows that building the site is one thing, but getting people to use it is quite another. The smaller your real-world presence the harder it is. If you're a national newspaper or a Hollywood star you probably won't have much trouble getting people to visit your website. If you're a self-employed plumber or an unknown blogger writing in your spare time, it's considerably harder.

Traffic used to come from three places: the real world (print advertising, business cards, word of mouth, etc), search engines and inbound links. Whichever field you were in and at whichever level, you were competing against other similar sites on a fairly level playing field.

Social networks have changed all that. Facebook and Twitter now wield enormous power over the web by giving their members ways to find and share information using tools that work in a social context. There's no obvious way to replicate this power out on the open web of independent websites tied together loosely by links and search engine results.

Not so long ago you had to be on MySpace if you were an up-and-coming band. Now it's probably Facebook. Either way, your social network presence is more important than your own website.

If you're an independent photographer looking to get established you probably need to get your pictures on photo sharing sites like Flickr where they can be easily found by millions.

Many of the most valuable conversations around technology and many other fields happen on Twitter. If you're not there you don't really exist, especially if you're just getting started in your field.


Antisocial networking
You can turn your back on the social networks that matter in your field and be free and independent running your own site on your own domain. But increasingly that freedom is just the freedom to be ignored, the freedom to starve. We need to use social networks to get heard and this forces us into digital serfdom. We give more power to Big Web companies with every tweet and page we post to their networks while hoping to get a bit of traffic and attention back for ourselves. The open web of free and independent websites has never looked so weak.

Perhaps none of this would matter very much if the biggest player of them all – Facebook – wasn't such a grotesque abuser of its position. Even before announcing Open Graph this week it was pretty clear that Facebook wanted to own everything everyone does online. Facebook currently has 750 million members. If it were a country it'd be the third most populous in the world, bigger than everyone except China and India. The United States has a mere 312 million people – not even half the size of Facebook.

Facebook's Open Graph technology allows third-party websites to tell Facebook what people are doing. It extends Facebook's Like button to include any action that the site owners think might be interesting to Facebook. Play a song and your music streaming site tells Facebook what you've played. Read a newspaper article and Facebook knows what you've read. LOL at a lolcat and your LOL gets logged for all time on your indelible activity record. Facebook calls this "frictionless sharing", which is its euphemism for silent total surveillance. Once you've signed up for this (and it is optional; at least for now) you don't need to do anything else to "share" your activity with Facebook. It's completely automatic.

Site owners and developers are lapping it up. Hosting company Heroku posted this incredible tweet the day after Open Graph was announced:

Huge Open Graph momentum with social devs, we've seen more than 33,800 new Facebook apps in last 24 hours #f8

Yes, that's nearly 34,000 new Facebook apps created in one day by customers of just one hosting company. Astonishing numbers.

At least Facebook is upfront about Social Graph. Facebook's abuse of its Like button to invade people's privacy is much less publicised. We all think we know how it works. We're on a website reading an interesting page and we click the Like button. A link to the page gets posted to our wall for our friends to see and Facebook keeps this data and data about who clicks on it to help it to sell advertising. So far, so predictable.

What most people don't know is that the Like button tracks your browsing history. Every time you visit a web page that displays the Like button, Facebook logs that data in your account. It doesn't put anything on your wall, but it knows where you've been. This happens even if you log out of Facebook. Like buttons are pretty much ubiquitous on mainstream websites, so every time you visit one you're doing some frictionless sharing. Did you opt in to this? Only by registering your Facebook account in the first place. Can you turn it off? Only by deleting your account. (And you know how easy that is.)


Drawing the line
This is where I draw the line. I'm well aware that everything we do online and many of the things we do in the real world create a data shadow – a digital record of our actions. If you carry a mobile phone, your location is continually recorded by your phone company. If you're suspected of a crime or go missing then this data will be handed to the police. Most of us know this and choose to use mobile phones anyway. We know that when we buy things that transaction is recorded by our bank and the shop unless we're using cash. We know that our computers and our broadband providers record what we do online. But all these things are predictable and at least arguably necessary to provide the services we use. We might not like these intrusions into our privacy but we like the law enforcement, fraud protection and service quality that they buy us. It's a compromise that most of us are willing to make.

What Facebook is doing is very different. When it records our activity away from the Facebook site it's a third party to the deal. It doesn't need this data to run its own services. Moreover, Facebook's aggregation and centralisation of data across all our disparate fields of activity is a very different thing from our phone company having our phone data and our bank having our finances. Worst of all, the way Facebook collects and uses our data is both unpredictable and opaque. Its technology and policies move so quickly you'd need to be a technical and legal specialist and spend an inordinate amount of time researching Facebook's activities on an ongoing basis to have any hope of understanding what they're doing with your data.

As individuals we can opt out. It's still possible to live a full life in the developed world and not use social networks. Some people may find it harder than others – missing out on event invitations that are only sent on Facebook, for example. Not being able to see your friends' photos because they're only posted to Facebook. Not being able to join conversations on Twitter. But for now there are sufficient alternatives for most of us. As with smoking, it's easier to not start using the social web than to stop. Once you've signed up the cost of leaving increases with every "friend" you make, every photo you post, every tweet you send. That's why I'm holding out against Google+ for now.

For organisations and business it's very different. We're already past the point where social networks can be ignored. If you don't have a social networking presence, your businesses is at a significant disadvantage compared with those that do. It's where the attention, the traffic and the conversations are. Even public and government services are finding their social networking activities increasingly important. How long before they're essential?

The promise of the open web looks increasingly uncertain. The technology will continue to exist and improve. It looks like you'll be able to run your own web server on your own domain for the foreseeable future. But all the things that matter will be controlled and owned by a very small number of Big Web companies. Your identity will be your accounts at Facebook, Google and Twitter, not the domain name you own. You don't pay Big Web a single penny so it can take away your identity and all your data at any time.

The things you can say and do that are likely to be seen and used by any significant number of people will be the things that Facebook, Google and Twitter are happy for you to say and do. You can do what you like on your own website but you'll probably be shouting into the void.

If I find any answers I'll post them on my blog. But right now things are looking bleak. It's the end of the web as we know it; and I feel pretty far from fine.
Fonte: http://www.guardian.co.uk/technology/2011/sep/27/facebook-open-graph-web-underclass

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Urânia
Rei/Rainha
avatar

Feminino
Câncer Tigre
N. de Mensagens : 1298
Idade : 30
Raça : Elfo
Elemento : Ar
Deus : Urano (Céu/Elevação/Perfeição)
Cor : Verde

MensagemAssunto: Re: O lado negro das redes sociais   Sex Nov 25, 2011 4:19 pm

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
RedHead
Deus(a) da Lua (moderação)
avatar

Feminino
Aquário Dragão
N. de Mensagens : 2916
Idade : 28
Local : Olissipo/Liberalitas Julia
Raça : Elfo
Elemento : Terra/Rocha
Deus : Urano (Céu/Elevação/Perfeição)
Cor : Preto

MensagemAssunto: Re: O lado negro das redes sociais   Sex Nov 25, 2011 8:56 pm

Damn... Espero que as queixas façam algum efeito.

_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://dianarosa.wix.com/diana-rosa
Kraft durch Freude
Herói/Heroína mitológic@
avatar

N. de Mensagens : 2053
Raça : Ent/Povo das Árvores
Deus : Ares (Guerra/Heroísmo/Conquista)

MensagemAssunto: Re: Que video estou a ver...   Sab Nov 26, 2011 11:26 pm

Urânia escreveu:

RedHead escreveu:
Damn... Espero que as queixas façam algum efeito.

lol?

Ainda por cima de ti, que usas o Facebook diariamente? Nunca leste os termos e condições de utilização do serviço? É claro como água, pelo contrato deles, que os dados que são postos no site são deles e não dos utilizadores. E ele aceitou isso quando se registou. End of story. Não me admirava nada que aquelas queixas não dessem em nada.

Fosse isto o pior que o Facebook tem... Enfim...


Última edição por Kraft durch Freude em Ter Nov 29, 2011 8:25 pm, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Ceinwyn
Deus(a) da Lua (moderação)
avatar

Feminino
Leão Tigre
N. de Mensagens : 3936
Idade : 30
Raça : Gárgula
Elemento : Terra/Rocha
Deus : Ares (Guerra/Heroísmo/Conquista)
Cor : Vermelho

MensagemAssunto: Re: O lado negro das redes sociais   Ter Nov 29, 2011 12:18 am

UE vai impedir Facebook de mostrar publicidade direccionada sem autorização

O modelo de negócio do Facebook pode estar em causa na Europa. A Comissão Europeia anunciou uma directiva, a entrar em vigor em Janeiro, que impede a rede social de partilhar informações dos seus utilizadores com anunciantes, a não ser que aqueles o permitam declaradamente.


As informações compiladas pelo Facebook – género, sexualidade, crenças religiosas, ideais políticos, localização, actividades ou o que quer que se partilhe nos murais (como planos de viagem ou de casamento, por exemplo) – tornam a rede muito atractiva para anunciantes, que podem aceder a esses dados e assim direccionar as suas campanhas publicitárias.

A directiva europeia vai criar uma protecção para todos os utilizadores da rede social que não queiram que os seus dados sejam partilhados com as empresas publicitárias, nem pretendam ser alvo de anúncios direccionados. É uma actualização das actuais leis europeias de protecção de dados, à luz dos novos avanços tecnológicos.

“Peço aos prestadores de serviços – especialmente as redes sociais – que sejam mais transparentes sobre a forma como funcionam. Os seus utilizadores devem saber que informações são compiladas e posteriormente tratadas [e] para que fins”, apelou nesta segunda-feira a vice-presidente da Comissão Europeia, Viviane Reding, citada pelo britânico The Telegraph, que dá a notícia.

O facto de o Facebook ter a maior parte dos seus dados guardados em servidores norte-americanos (apesar de estar já a construir uma sede europeia na Suécia) não impedirá, segundo o mesmo jornal, que a empresa seja processada no Velho Continente e condenada a uma “coima enorme”.

“Os consumidores na Europa devem ter os seus dados fortemente protegidos, independentemente do país da UE em que vivem e independentemente do país em que as empresas que tratam os dados pessoais estão estabelecidas”, disse ainda Viviane Reding.

O Facebook respondeu, através de um porta-voz: “Entendemos que se partilha muita informação no Facebook e levamos isso muito a sério. Acreditamos que os anúncios são melhores quando são relevantes e personalizados com base nos interesses reais dos utilizadores. Podemos mostrar anúncios relevantes de uma forma que respeite a privacidade individual [dos utilizadores] porque o nosso sistema só fornece aos anunciantes informação anónima e agregada com o objectivo de segmentar anúncios”.

“Não partilhamos nomes com um anunciante sem a consentimento explícito das pessoas e nunca vendemos informação pessoal a terceiros. Não há qualquer ligação entre as definições pessoais de cada um e a nossa publicidade. Quer os perfis sejam muito privados ou muito públicos, toda a gente vê a mesma quantidade de publicidade no lado direito da página. Os anúncios são personalizados para cada utilizador. Não rastreamos o comportamento das pessoas para fins publicitários”, rematou, também citado pelo The Telegraph.

_________________

Certe canzoni attraversano le mura con sacre ironie e parlano, senza parole, quell'unica lingua ch'è il suono.

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Averróis
Deus(a) da Lua (moderação)
avatar

Masculino
Sagitário N. de Mensagens : 3508
Idade : 818
Local : Córdoba

MensagemAssunto: Re: O lado negro das redes sociais   Ter Nov 29, 2011 12:19 am

Acho muito bem!

_________________

· Website | Bandcamp | SoundCloud | Last.fm ·
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://undogmatic.net78.net/
Urânia
Rei/Rainha
avatar

Feminino
Câncer Tigre
N. de Mensagens : 1298
Idade : 30
Raça : Elfo
Elemento : Ar
Deus : Urano (Céu/Elevação/Perfeição)
Cor : Verde

MensagemAssunto: Re: O lado negro das redes sociais   Ter Nov 29, 2011 5:01 pm

Averróis escreveu:
Acho muito bem!

Muito bem mesmo!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: O lado negro das redes sociais   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
O lado negro das redes sociais
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» RPG nas redes sociais: estamos de volta no Facebook!
» Enxuria ta famoso nas redes sociais confiram
» Diferenças Entre Spam e Flood!
» Castlevania a lenda do chicote negro da destruição
» Castelo negro - Hall de entrada

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Folk Lusitânia :: Parte Sul :: Academia de Filosofia-
Ir para: