Folk Lusitânia

Folk, Neo-clássico, New Age, World Music, Darkwave, Medieval, Música Étnica, Folk Metal, Symphonic Metal, Dark Ambient, Neofolk, Marcial.
 
InícioCalendárioFAQBuscarMembrosRegistrar-seLogin

Compartilhe | 
 

 O meu post de Domingo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2
AutorMensagem
Qaa Qenymin
Artista


Masculino
Leão N. de Mensagens : 412
Idade : 116
Local : Karnak, ali para os lados do guadiana
Raça : Hobbit
Elemento : Terra/Rocha
Deus : Urano (Céu/Elevação/Perfeição)
Cor : Cinzento

MensagemAssunto: Re: O meu post de Domingo   Qua Jun 15, 2011 4:24 pm

O nosso planeta está em fase de transformação acelerada.
Os milhões de jovens vão herdar uma pesada herança, legada por gerações, que tiveram um único pensamento durante décadas, que consistiu no desenvolvimento e crescimento económico a todo o custo, sem qualquer preocupação em relação à sustentabilidade dos recursos naturais e dignidade humana.

Existem neste momento 1,3 mil milhões de jovens que vivem na fronteira entre a infância e a vida adulta.
Embora a esmagadora maioria destes adolescentes vivam em países em desenvolvimento, enfrentam riscos elevados, nomeadamente ao nível da saúde, da alimentação, do abuso de substâncias psicotrópicas, da empregabilidade, do clima e da sua própria desestruturação.

Actualmente no mundo existem cerca de 100 milhões de jovens sem trabalho, os países desenvolvidos e em desenvolvimento correm o risco de perder o seu recurso mais valioso, que é a força produtiva de trabalho e talento dos jovens, ou seja, vamos assistir à perda de gerações.
Esta força de trabalho poderia contribuir muito significativamente para o crescimento das economias destes países e para o equilíbrio e sustentabilidade dos sistemas de segurança social.

Inevitavelmente, os jovens de hoje têm pela frente enormes desafios mundiais, que terão implicações muito profundas no seu futuro.
A começar pelo sistema financeiro arquitectado, a turbulência económica global, as alterações climáticas, a degradação ambiental e a desertificação de grandes áreas, o envelhecimento das sociedades, uma urbanização desregrada e explosiva e por fim, as frequentes calamidades humanitárias.

O homem de hoje perdeu o sentido de responsabilidade individual e colectiva, não assegurando os direitos básicos do futuro dos jovens, principalmente o direito à sobrevivência, ao desenvolvimento sustentado, à protecção e à participação cívica nas comunidades globais.
Os jovens de hoje serão muito mais velhos em 2050, independentemente da própria idade.



O REGRESSO DA CORRIDA MAIS LOUCA DO MUNDO!

Depois do estrondoso sucesso de 2004, o Grande Prémio Red Bull - A Corrida Mais Louca do Mundo regressa ao nosso país no dia 4 de Setembro.
Criatividade, boa disposição e muita velocidade são os ingredientes chave de uma fórmula que tem encantado o Mundo.
Lisboa é o destino desta aventura e as inscrições estão desde já abertas.



Se gostas de miniaturas, o Miniatur Wunderland em Hamburgo tem uma surpresa para ti.
A exposição acaba de adicionar ao seu portfólio um aeroporto em miniatura que captura quase todos os detalhes de um verdadeiro aeroporto.

A peça tem o valor de 3,49 milhões de euros e levou seis anos a fazer.
Impressiona por ser extremamente detalhada, incluindo miniaturas altamente realistas de aviões e outros veículos, que podem, inclusive, mover-se pela pista.



Conhecer mais sobre o teu pénis (ou do teu parceiro) é importante para intensificar as relações, o prazer, além de combater disfunções e outros males que tanto atrapalham na vida sexual de um casal.
Pois vamos a alguns desses factos:

1. Fumar pode encurtar em até 1 cm o pénis.
As ereções dependem do fluxo sanguíneo, e os fumantes calcificam os vasos, dificultando a circulação;

2. Estudos revelam que 79% dos homens têm pénis que expandem significativamente quando erectos, e 21% têm pénis grandes em repouso que não expandem muito quando erectos;

3. O cérebro não é necessário para a ejaculação. A ordem vem da medula espinhal;

4. O caso mais comum de ruptura peniana, masturbação vigorosa.

5. Apenas 1 entre 400 homens são flexíveis o suficiente para fazer sexo oral no próprio corpo;

6. Os homens de melhor aparência podem ter espermas mais “fortes”.
Pesquisadores espanhóis mostraram a mulheres fotos de homens que tiveram classificação boa, média, e ruim de espermatozoides, e lhes disseram para escolher os seus preferidos, pela aparência.
A grande maioria escolheu os melhores produtores;

7. Os médicos estão a usar a pele do prepúcio de crianças circuncidadas em vítimas de queimadura.
Um prepúcio pode produzir 23,000 metros quadrados, que seriam bastante para cobrir um campo de futebol;

8. O pénis responsável por desvirginar o maior número de moças foi do Rei Fatefehi, de Tonga, que supostamente desvirginou 37.800 mulheres entre os anos 1770 e 1784 - ou cerca de 7 virgens por dia;

9. Uma glândula de próstata alargada pode causar tanto disfunção eréctil como ejaculação precoce;

10. O orgasmo masculino dura em média 6 segundos.
O feminino, 23 segundos.
Se fosse ver por quantidade, seria necessário o homem chegar “lá” 4 vezes à cada 1 da mulher.



Momento zen do dia
Quando atravessares uma rua, olha para os dois lados




Um flash onde de forma brilhante é ilustrada a escala do universo onde existimos.



As notícias modem ser apresentadas de muitas formas on-line.
Graças a tecnologia flash e a ”tag” este site apresenta o inovador e atraente formato 10×10 de noticiário.



A lenda do dia
LENDA EM VIANA DO ALENTEJO
Existe uma inscrição em latim na porta do Santuário que relata que,após a expulsão dos mouros, um lavrador arava o campo quando encontrou dentro de um pote de barro a imagem que de se vê no altar.
Diz-se que a imagem foi descoberta por Martim Vaqueiro.
Também se conta que esse homem tinha muitos bois e que vendeu alguns para ajudar na construção do Santuário.
Um dia, à noite, quando foi contar os bois, tinha o mesmo numero, como se não tivesse vendido nenhum.
Foi milagre de Nossa Senhora.



Serviço público, boas maneiras
Todos já se depararam com um alimento diferente que não sabem que talher usar, se realmente esse alimento se destina a comer ou simplesmente é algo decorativo.
Desde o que se come e como se come, é importante estar ciente das regras que visam respeitar uma boa convivência social à mesa.

O pão

Este alimento básico num jantar mais formal deve estar colocado ao lado esquerdo do prato logo acima dos garfos, e lá deve permanecer.
O pão deve estar sempre dentro desse pequeno prato onde está colocado.
Mas não me interpretem mal, ele está lá para ser comido.
O pão deve ser partido em pequenos pedaços sempre em cima do prato respectivo e nunca ser levado à boca inteiro para ser trincado.
Evite que as migalhas se espalhem pela mesa cortando pequenos pedaços de pão em cima do prato respectivo.
Evita também molhar o pão em qualquer tipo de molho, bem como nada de colocar pequenos pedaços de pão na sopa, ou fazer papinhas ou bolinhas com o miolo do pão.

Batatas fritas

Podes usar os dedos se também os usar para comer a restante refeição.
Se estás a comer um hambúrguer, ou uma sanduíche , não são necessários talheres para comer as batatas fritas.
Mas se as batatas fritas acompanham um bife, ou outro tipo de comida que requeira talheres, então deve cortar as batatas fritas e comê-las com faca e garfo.
E se usares ketchup tente ser o mais asseado possível.

Sopa

A sopa serve-se num prato fundo ou numa taça própria.
Nada há que saber a não ser que a sopa deve comer-se com a maior colher, e cada colherada deve ser retirada do prato com cuidado para que não pingue.
Não deves debruçar-te sobre o prato, a colher deve ir à sua boca e não a sua boca à colher.
Quando estiveres prestes a terminar a sopa podes elevar uma parte do prato para ti de maneira a que o prato fique com a restante sopa num só lado, e comer a restante sopa.
No caso dos consommés, estes devem ser servidos em taças próprias e devem ser bebidos directamente da taça.

Ostras

Deves segurar a casaca da ostra com a mão esquerda, e se desejares tempera-la com limão, ou com algum molho que a acompanhe, deves fazê-lo com a mão direita.
Com a mão esquerda e com o talher apropriado retira o molusco.
Se desejares podes levar a casca à boca e beber o liquido restante.

Massas

As massas, especialmente o esparguete que tanto trabalho dá a comer, deve ser comido só com um garfo com o auxílio de uma colher a para o enrolar no prato.
Evita partir a massa no prato com a faca.

Moluscos

Este tipo de alimento como os mexilhões, amêijoas, etc., devem comer-se com talheres apropriados, especialmente se estão acompanhados de molho.
Podes segurar na casca com a mão esquerda e retirar o molusco com um garfo.

Peixe

Quando o peixe não vem sem espinhas e pronto a comer, devem separar-se as espinhas com os talheres respectivos, à medida que se vai comendo.
Se por algum acaso levares alguma espinha à boca deves retirá-la com a maior descrição.

Tomate cherry

Os tomates cherry são tomates pequenos, mais pequenos que uma noz, mas se os tentarmos cortar com uma faca podem esguichar o conteúdo.
Quando são servidos como hors d'oeuvres não são um problema, podem colocar um inteiro na boca e mastiga-lo de boca fechada.
Se os encontrares numa salada, espeta um pouco a pele com o garfo antes de o colocar inteiro na boca, caso seja pequeno, ou tenta cortá-lo cuidadosamente em duas partes com a faca.

Marisco

Caso seja servido por partir deverás fazê-lo com o material disponível como as tenazes que o devem acompanhar.
Normalmente o marisco já vem parcialmente partido, devendo pegar nele com a mão esquerda e com a direita e o garfo de dois dentes deves retira-lo da casca.
O marisco também pode vir servido descascado como um prato de peixe, devendo, neste caso usar os talheres de peixe.

Alcachofras

Esta deliciosa flor pode ser servida quente ou fria, acompanhada de molho ou recheada. Devem ser retiradas as folhas uma a uma, mergulhando a parte carnuda da folha no molho, devendo comer só essa parte, e deixando a restante no prato.
A parte mais saborosa da alcachofra é o coração, que deve ser comido com faca e garfo, tudo isto depois de ter retirado os filamentos que o envolvem.

Espargos

Os espargos quando servidos como entrada e inteiros podem ser comidos com as mãos, pegando no caule do espargo e molhando a cabeça no molho.
Come-se a cabeça e continua-se a comer o espargo.

Tirar a casca à fruta

Usualmente a fruta é servida descascada, e quando assim o é não há problema algum, dado que será só come-la de faca e garfo.
Caso isto não aconteça, e a fruta seja servida inteira deve-se partir a fruta em quartos, segurando em cada pedaço com o garfo e descascando-o de seguida.
De seguida come-se a parte descascada com os dois talheres.

Banana

A banana deve ser segurada com o garfo enquanto se cortam as extremidades com a faca. De seguida deve-se fazer um corte longitudinal e retirar a banana da casca, comendo-a normalmente com a faca e garfo.

Melão

Este fruto é servido em fatia.
Deve-se separar a polpa da casca fazendo um corte junto e ao longo da casca, enquanto se segura a fatia com o garfo, de seguida come-se a polpa de faca e garfo normalmente.

Cerejas

As cerejas comem-se à mão, aparando-se discretamente o caroço com a mão fechada em formato de cone, e colocando o caroço no prato.



Ás vezes dá-me
Gostava de viajar na maionese e virar ketchup.



Para pensar
Não gosto de deitar comida fora (julgo que não preciso explicar porquê).
Mas de vez em quando lá acontece ficar alguma coisa esquecida que, quando descoberta, me levanta a dúvida de estar ou não em boas condições para consumo.

Observo-a com atenção.
Tento perceber se tem sinais que denunciem o seu mau estado.
Pergunto a alguém:
“isto estará bom?”
E normalmente acabo por decidir adiar a decisão para uns dias mais tarde.

A verdade é que adio a decisão porque já sei que, dias mais tarde, o dito alimento já estará visivelmente estragado.
Nessa altura já não terei dúvidas se devo ou não deitá-lo fora e o peso na consciência será menor.

Lembrei-me disto ao pensar que é mais fácil esquecer um problema do que resolvê-lo.
Que é mais fácil fingir que determinada situação não existe em vez de ter que enfrentá-la e tomar decisões.
Quando o problema vier acima, já não haverá solução possível e poderemos simplesmente pensar que o problema desapareceu.

Na verdade desapareceu, mas isso não significa que tenha sido resolvido.



O teatrinho do dia
Vamos ao bar, trincar qualquer coisa?
- Como diz o povo, tens fome? Come um «home».
- Não posso, não tenho nenhum «home», nem aqui nem ali.
É um problema que me aborrece.
E aposto que nestas carruagens todas, neste comboio inteiro, não me consegues mostar um homem, um só, que seja um homem a sério.
- És muito exigente, rapariga.
- Não, eu tenho é muita fome.
Fim



Agarrem-me
Ao mesmo tempo que pedia aos 27 para reduzirem custos por causa da crise, a Comissão Europeia gastou oito milhões de euros em jactos privados, festas "cocktail" e férias em resorts de luxo em locais exóticos.
Durão Barroso gastou 28 mil euros em quatro noites em Nova Iorque.



Nostalgia do mês
Interpretado por Herman José e com texto das Produções Fictícias (Nuno Markl, Eduardo Madeira, entre outros), faz todo o sentido relembrar está preciosidade do Humor Português.
Tanto mais que, devido à antiguidade dos vídeos, muitas pessoas já não se lembram desta criação nacional.

A Última Ceia parte 1 - Herman José
A Última Ceia parte 2 - Herman José
A Última Ceia parte 3 - Herman José

Reacções ao Sketch: "A Última Ceia "

Fiquem bem e até para a semana
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Matilda Le Fay
Guerreiro/Guerreira


Feminino
Peixes Cachorro
N. de Mensagens : 49
Idade : 22
Local : Gaia
Raça : Hobbit
Elemento : Terra/Rocha
Deus : Hermes (Engenho/Pensamento/Arte)
Cor : Cinzento

MensagemAssunto: Re: O meu post de Domingo   Qua Jun 15, 2011 8:14 pm

Odeio domingos...Obrigada por me divertirem <3
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Qaa Qenymin
Artista


Masculino
Leão N. de Mensagens : 412
Idade : 116
Local : Karnak, ali para os lados do guadiana
Raça : Hobbit
Elemento : Terra/Rocha
Deus : Urano (Céu/Elevação/Perfeição)
Cor : Cinzento

MensagemAssunto: Re: O meu post de Domingo   Seg Jun 20, 2011 8:36 am

Lisboa é conhecida por ser “a cidade das sete colinas“, havendo uma enorme variedade de panoramas para descobrir.
Seja com uma vista esplendorosa para o rio Tejo ou com espectaculares panorâmicas urbanas, os miradouros de Lisboa são parte essencial do encanto da cidade e há que visitar pelo menos três ou quatro!

Miradouro da Graça
Este miradouro é um dos prediletos dos visitantes do Lisboando.
Tem um quiosque que serve tapas e café.
No entanto, se quiserem algo mais do que uma “bica“, também se pode pedir algo mais espirituoso para aquecer nos meses mais frios, ou uma cerveja gelada nos meses mais quentes.
O elétrico 28 passa pelo miradouro, e é possível subir a pé diretamente vindo de Alfama.

Miradouro da Penha de França
É um pequeno miradouro nas proximidades da Linha Verde do metropolitano (estações Anjos e Arroios) que não é tão turístico, embora proporcione uma bela vista panorâmica para a cidade.
Aficcionados da fotografia certamente não ficarão tristes!

Miradouro da Senhora do Monte
Em frente à capela com o mesmo nome, este miradouro é muito agradável e bom para um piquenique!
Dos maiores miradouros em Lisboa, fica situado na Graça e a sua vista magnífica brinda-nos o estuário do Tejo, o Castelo de S. Jorge, a Baixa, o Bairro Alto, a serra de Monsanto e o vale urbano onde está a Avenida Almirante Reis.
Depois de uma caminhada pela Graça, Alfama e redondezas, é um lugar ótimo para um descanso fotográfico.

Miradouro de Santa Catarina
Conhecido como “Adamastor” (devido à estátua presente no local que já foi roubada), é um dos pontos de encontro preferidos pelos lisboetas.
No entanto, e sobretudo se estiver bom tempo, é normal que se encha de gente.
Seja como for, é bastante amplo e dispõe de um café-bar e espaço verde suficiente em redor.
A vista sobre o Tejo é magnífica.

Miradouro de Santa Luzia
Um dos mais belos miradouros da cidade, com uma vista soberba para Alfama e o rio Tejo.
Nos detalhados azulejos deste miradouro podemos também ver representações da Praça do Comércio antes do terramoto de 1755 e também do ataque cristão ao Castelo de S. Jorge.

Miradouro de Santo Estêvão
Fica no adro da Igreja de Santo Estêvão (classificada como Monumento Nacional), cuja construção original data do século XII, no entanto, e devido ao terramoto de 1755, foi reedificada em 1773 em estilo barroco.
Vale muito a pena visitar este miradouro, fica em Alfama, pelo que é algo que poderás fazer durante o passeio pelo bairro histórico.

Miradouro de São Pedro de Alcântara
Situado no Jardim com o mesmo nome.
Localiza-se entre o (e ao lado do) Bairro Alto e o Príncipe Real.
É bastante amplo (talvez o maior miradouro de Lisboa), possuindo um quiosque-bar, várias cadeiras para um descanso da caminhada e uma vista fantástica para Lisboa, nomeadamente o Castelo de S. Jorge e a encosta da Mouraria e vizinhança.
Mais para o Verão é também frequente haver música ao vivo no Jardim.
Por todas estas razões vale muito a pena conhecer.

Miradouro do Castelo de S. Jorge
O Castelo de S. Jorge é, por si só, uma visita obrigatória.
E se te disser que dentro das suas muralhas há um miradouro simplesmente delicioso?
Isso mesmo, nele encontram-se os velhos canhões apontados ao Tejo e esta localização é palco de fantásticas fotografias panorâmicas, de poses felizes para mostrar à família e amigos posteriormente, para um excelente descanso (sobretudo num final de tarde veranesco) e para conhecer uma grande parte da história de Lisboa.

Miradouro do Parque Eduardo VII
O Parque Eduardo VII é um enorme espaço verde (nas “costas” do Marquês de Pombal… isto é, da Praça!) no centro de Lisboa.
Lá em cima, no miradouro, o visitante é brindado com uma bela vista carregada de simbolismo, além do verde jardim que cobre a encosta, observamos a estátua do Marquês de Pombal e o seu leão contemplando o rio Tejo.
Perto fica o Jardim Amália Rodrigues que também vale muito a pena visitar (quem sabe, tomar um refresco num belo café-restaurante nas margens de um lago artificial). E se já for hora de jantar e quiseres provar uma das melhores cozinhas da cidade, visita o Eleven.

Miradouro do Torel
No Jardim com o mesmo nome, fica perto da Avenida da Liberdade (que vai dos Restauradores até à Praça do Marquês de Pombal).
A Calçada do Lavra (por onde sobe um ascensor/elétrico) cruza com a Rua de S. José, e sobe até um ponto onde será possível chegar facilmente ao Miradouro.

Miradouro das Portas do Sol
Um miradouro absolutamente fantástico!
Com uma vista do outro mundo para o Tejo, Alfama e arredores, este ponto de referência do panorama lisboeta é facilmente acessível de elétrico ou num curto passeio caminando desde a Sé à Catedral de Lisboa.
De certeza que não te irás arrepender desta visita.
Um dos miradouros prediletos dos Lisboetas!

Miradouro da Rocha do Conde de Óbidos
Um modesto miradouro que, na sua simplicidade, acaba por encantar.
Um pouco afastado do centro turístico da cidade (mas nem por isso longe), este Miradouro está rodeado por um pequeno e tranquilo espaço verde.
Descendo do miradouro para a Avenida Marginal encontra-se a bonita Casa da América Latina, com uma agenda regular e interessante.
Também ao lado do miradouro está o formidável Museu Nacional de Arte Antiga, pelo que dificilmente será uma visita que sabe a pouco.

Miradouro dos Moinhos de Santana
Este miradouro está situado no parque com o mesmo nome.
É acessível de autocarro, sendo provavelmente necessária uma pequena caminhada até ao Parque.
Os Moinhos de Santana são dois moinhos de vento construídos no século XVIII no Parque Florestal de Monsanto para as freiras Dominicanas Irlandesas do Convento do Bom Sucesso.
Hoje em dia, são os únicos testemunhos perfeitamente preservados da importante atividade moageira desenvolvida por dezenas de moinhos em toda a zona ocidental da cidade.
Foram restaurados em 1964/65 pela Associação Portuguesa dos Amigos dos Moinhos, preservando a estrutura-base.

Miradouro dos Montes Claros
Este miradouro está localizado no Parque Florestal de Monsanto.
O visitante fica rodeado por um belo espaço verde com um lago e bastante espaço para um excelente passeio.
Com vista para Lisboa, rio Tejo e serra de Sintra, todo o espaço foi criado com base num projecto do arquiteto Keil do Amaral.
Embora não tão acessíveis como os miradouros do centro de Lisboa, se já pensas visitar o Miradouro dos Moinhos de Santana, vale muito a pena descobrir este também e (re)descobrir Monsanto.

Miradouro do Cais das Colunas
Este não é um miradouro no sentido tradicional, uma vez que está ao nível do mar… e muito próximo dele, mesmo!
No entanto, é de fácil acesso e constitui uma visita obrigatória (em muitos casos, uma visita acidental, uma vez que os visitantes não o tomam por “miradouro” no sentido convencional).
A vista é belíssima e simples.
De um lado, o imponente Terreiro do Paço (Praça do Comércio) do outro, o rio Tejo. Ideal para relaxar ao som das águas.

Aqui fica a lista de todos os miradouros de Lisboa

Alto das Chagas - Rua das Chagas ao Calhariz
Alto da Serafina - Parque Florestal de Monsanto
Aqueduto das Aguas Livres - Campolide
Cais das Colunas - Terreiro do Paço
Castelo de S. Jorge - Largo do Chão de Feira
Cristo Rei - Almada
Elevador de Santa Justa - Carmo
Graça - Largo da Graça
Jardim Botânico da Ajuda - Ajuda
Jardim Júlio de Castilho - Santa Luzia
Luneta dos Quartéis - Parque de Monsanto
Miradouro dos Moinhos - Jardim Zoológico
Moinho da Ajuda - Estrada do Camarão da Ajuda
Moinho dos Mocho - Serra de Monsanto
Moinho dos Alferes - Parque Florestal de Monsanto
Monte Ajuda - Rua Heliodoro Salgado
Montes Claros - Parque Florestal de Monsanto
Parque Eduardo VII - Rua Marques da Fronteira
Penha de França - Largo da Penha de França
Ponte 25 de Abril
Portas do Sol - Largo das Portas do Sol
Restelo (Ermida de S. Jerónimo ) - Bairro do Restelo
Rocha Conde de Óbidos - Jardim 9 de Abril
Santa Catarina - Alto de Santa Catarina
Santa Clara - Largo de Santa Clara
Santa Luzia - Largo de Santa Luzia
S. Pedro de Alcântara - Rua S. Pedro de Alcântara
Santo Estêvão - Igreja de Alfama
Senhora do Monte - Largo da Senhora do Monte
Tapada da Ajuda - Calçada da Tapada
Torel - Travessa do Torel
Torre de Belém - Belém
Zimbório da Basílica da Estrela - Estrela



...por baixo do gelo antárctico, numa excelente foto-reportagem da Time.



O teatrinho do dia

Como é o feminino de sexo?
O quê?
O feminino de sexo.
Não tem.
Sexo não tem feminino?
Não.
Só tem sexo masculino?
É. Quer dizer, não. Existem dois sexos. Masculino e feminino.
E como é o feminino de sexo?
Não tem feminino. Sexo é sempre masculino.
Mas tu mesmo disseste que tem sexo masculino e feminino.
O sexo pode ser masculino ou feminino. A palavra "sexo" é masculina. O sexo masculino, o sexo feminino.
Não devia ser "a sexa"?
Não.
Por que não?
Porque não! Desculpe. Porque não. "Sexo" é sempre masculino.
O sexo da mulher é masculino?
É. Não! O sexo da mulher é feminino.
E como é o feminino?
Sexo mesmo. Igual ao do homem.
O sexo da mulher é igual ao do homem?
É. Quer dizer...Olha aqui. Tem o sexo masculino e o sexo feminino, certo?
Certo.
São duas coisas diferentes.
Então como é o feminino de sexo?
É igual ao masculino.
Mas não são diferentes?
Não. Ou, são! Mas a palavra é a mesma. Muda o sexo, mas não muda a palavra.
Mas então não muda o sexo. É sempre masculino.
A palavra é masculina.
Não. "A palavra" é feminino. Se fosse masculina seria "O pal..."
Chega! Vai brincar, vai.
O garoto sai e a mãe entra. O pai comenta:
Temos que ficar atentos ao nosso filho...
Por quê?
Ele só pensa em gramática.



Um resumo interactivo do que sucederia ao nosso planeta se a raça humana desaparecesse.
Imaginem qual seria a única coisa que duraria para sempre?
Descubram no site, porque realmente não há ET que mereça!



Impressionante a comparação entre as fotos dos Paghan Gardens no centro de Cabul em meados dos anos 60 e a paisagem desoladora do mesmo local hoje em dia.




Média de horas diárias passadas a ver televisão em diversos países.
Os Estados Unidos aparecem bem à frente com umas incríveis 8 horas e 11 minutos. Portugal fica-se pelas 3 horas e 40 minutos.




Momento zen do dia




Boas maneiras
Se há algo por vezes perturbador é perceber que ainda existem pessoas que não apanham os dejetos dos seus animais de estimação sempre que os levam à rua.
Para quem ainda não pensou sobre isso, ficam aqui algumas ideias que podem ajudar a mudar alguma coisa.

Afinal a rua é de todos.

Quando o cão urina não o deixe usar arbustos, pneus de carros, caixotes do lixo ou objetos dos seus vizinhos.
Relativamente aos troncos de árvore pode-se dizer que menos mal, mas de resto não permitas.

Quem quer que vá passear um cão deve levar sempre consigo um saco para apanhar os detritos.

Relativamente às fezes do cão pega num saco e apanha.
Se estás num parque público ou num passeio, não te esqueça que crianças e pessoas passam por ali e podem pisar ou apanhar doenças se não removeres as fezes do cão.

Se por acaso alguém decide passear o cão na tua propriedade e deixa lá um presente menos simpático, para a próxima vez deves dizer-lhe “Penso que se esqueceu de trazer um saco”, e entrega-lhe um para que a pessoa possa apanhar os detritos do animal.

Muito obrigada por seres um dono responsável!



A lenda do dia
LENDA DA VARA DE VASCO DA GAMA
Um rapaz chegou junto de Vasco da Gama e, em tom irónico, perguntou:
« Vai então Vossa Mercê descobrir as Índias?»
Vasco da Gama irritado, pega numa vara e diz;
«É tão certo eu descobrir a Índia como esta vara florir.»
Vasco da Gama chegou à Índia e a vara floriu.



Pensamento do dia
...misturar uma quantidade industrial de Super Bock Abadia com Sagres Bohemia 1835, só podia dar nisto, numa puta de uma ressaca histórica!



Serviço público
As aftas
As aftas são um tipo de úlceras da boca, são manchas brancas dolorosas,
geralmente um rebordo inflamado vermelho-vivo, podendo surgir isoladas
ou em grupo e ser um sintoma de doenças, como doença celíaca e de Cronh.
As úlceras recorrentes podem ser resultantes de deficiências nutricionais,
sensibilidade ou alergia a alimentos ou a stress.
Nas mulheres, o seu aparecimento coincide por vezes com o ciclo menstrual .
Outras causas possíveis de úlceras são problemas de dentes ou infecções,
podendo nestes casos ocorrer uma temperatura elevada.
As dietas pobres em vitamina B têm sido citadas como origem do problema,
nesse caso, consuma leite, batatas e cereais integrais, todos eles boas fontes
daquelas vitaminas.
A deficiência de zinco é outro factor, sendo boas fontes deste nutriente:
germe de trigo, frutos secos, sementes, marisco e ovos.
O ácido fólico, necessário para a saúde da mucosa da boca, encontra-se em
legumes verde-escuros e cereais integrais.
Se sofre de úlceras da boca, evite alimentos salgados e acidificados, como pickles,
e álcool, que apenas agravarão o problema.



A receita do dia
SALADA DE LENTILHAS
Ingredientes: (4 pessoas)
250 g de Lentilhas (colocadas de molho no dia anterior)
1 Cebola grande e 1 pequena
2 dentes de Alho
1 folha de Louro
1 Repolho
2 Tomates vermelhos mas rijos
1 Pimento vermelho
Molho Vinagrete (preparado com azeite, vinagre, mostarda e sal)

Preparação:
Cozer as lentilhas com a cebola grande, os alhos e o louro, quando estiverem cozidas,
escorrer numa saladeira e deixar arrefecer.
Lava muito bem as verduras e pica finamente o repolho, os tomates, a cebola pequena e o pimento.
Quando as lentilhas estiverem frias, junta todas as verduras picadas, tempera ligeiramente e junta o molho vinagrete.



A imagem do dia


Até para a semana
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Qaa Qenymin
Artista


Masculino
Leão N. de Mensagens : 412
Idade : 116
Local : Karnak, ali para os lados do guadiana
Raça : Hobbit
Elemento : Terra/Rocha
Deus : Urano (Céu/Elevação/Perfeição)
Cor : Cinzento

MensagemAssunto: Re: O meu post de Domingo   Seg Jul 18, 2011 2:27 pm


As tartarugas Marion, das ilhas Seychelles, no oceano Índico, detêm o recorde de longevidade entre os animais, 152 anos de idade.
O mamífero de vida mais longa é o homem.
Alguns vivem mais de 100 anos.
Depois, vem o elefante asiático, com 78 anos.
Os dados abaixo são o tempo de vida média de algumas espécies.

ARARA: 63 anos
AVESTRUZ: 50 anos
BURRO: 12 anos
CÃES: 12 anos
CANGURU: 7 anos
CARNEIRO: 10 anos
CAVALO: 30 anos
CHIMPANZÉ: 20 anos
COELHO: 12 anos
CORUJA: 24 anos
CORVO: 69 anos
ELEFANTE AFRICANO: 60 anos
ESQUILO: 11 anos
GALINHA: 7 anos
GATO: 13 anos
GIRAFA: 10 anos
GOLFINHO: 65 anos
GORILA: 20 anos
HIPOPÓTAMO: 40 anos
LEÃO: 25 anos
PORCO: 10 anos
RATO: 2 anos
RINOCERONTE: 70 anos
TARTARUGA: 100 anos
TIGRE: 25 anos
URSO: 15 anos
VACA: 15 anos
VEADO NOBRE: 10 anos
ZEBRA: 15 anos



Serviço público
O Vinagre

O vinagre é um produto de limpeza barato e não tóxico.
É à base de ácido, por isso faz desaparecer a gordura, e mata os germes e bactérias ao contrário de muitos produtos de limpeza caros.

1. Remove Ferrugem:
Embeba as suas ferramentas de metal e parafusos no vinagre e limpe a ferrugem.
2. Remove Etiquetas:
Descole etiquetas e autocolantes da parede, por exemplo, molhando-os com vinagre.
3. Remove Manchas:
Elimine manchas de tecidos, carpetes e estofados.
4. Limpa o Chão:
Linóleo, vinil, azulejos e pisos de madeira podem brilhar com vinagre.
5. Limpa Janelas:
Misture o vinagre com água e sabão azul e dê brilho às suas janelas um brilho formidável.
6. Limpa Painéis de madeira:
Combine o vinagre com o azeite e água morna para formar um líquido de limpeza eficaz para painéis de madeira.
7. Mata Formigas:
Encha um frasco de spray com vinagre e borrife esses intrusos minúsculos. Aplique ao longo de janelas e portas para mantê-los longe.
8. Desodoriza Quartos:
Livre-se de cheiros persistentes deixando de fora uma tigela de sopa de vinagre branco destilado durante a noite.
9. Desodoriza o Caixote do Lixo:
Limpe todo o caixote com um pano embebido em vinagre, por dentro e por fora.
10. Limpa Tachos e Panelas:
Remova os restos de comida queimada com o uso de vinagre.
11. Limpa Copos e Taças:
Manchas em copos e taças podem ser eliminados com a ajuda de vinagre.
12. Erradica os Odores da Misturadora e Robot de Cozinha:
Limpando o seu aparelho eléctrico com vinagre branco e mistura de água pode matar odores desagradáveis.
13. Limpa e Desinfecta a Bancada da Cozinha:
Misture vinagre num pano multiusos e limpe toda a bancada.
14. Limpa o Micro-ondas:
Combine com água morna e um pouco de detergente.
Uma óptima maneira para finalmente livrar o microondas de cheiros pestilentos.
15. Limpa e Desinfecta a Sanita:
Vinagre pode matar os germes da mesma forma que qualquer outro detergente de casas de banho. Sai muito mais barato.
16. Desentope Mangueira de Máquina de Lavar Roupa:
Coloque a máquina no ciclo regular e adicione uma chávena de vinagre. Claro, certifique-se que não tem roupas ou toalhas dentro, com antecedência.
17. Roupas:
Ilumine as suas cores, adicionando um terço de um copo de vinagre branco à sua lavagem.

O VINAGRE FORA DE CASA
Mantém a beleza do seu quintal e casa.

19. Mata Ervas:
O ácido acético do vinagre branco destilado mata as ervas daninhas e plantas também.
Aplique e reaplique em áreas longe das suas plantas favoritas.
20. Aumenta Acidez do Solo:
Uma mistura de vinagre e água pode ser aplicado às plantas que beneficiam da acidez do solo. Ferro valioso é libertado no solo.
21. Repelente de Ratos:
Impeça que ratos danifiquem o seu jardim, colocando bolas de algodão embebidas com vinagre branco destilado em lugares estratégicos.
22. Remove Míldio:
Uma solução de água e vinagre pode remover o mofo de vasos de plantas.

OUTRAS UTILIZAÇÕES DO VINAGRE AO AR LIVRE
Desde o campismo até aos cuidados com o seu carro, o vinagre também pode melhorar a vida longe de casa.

23. Repelente de Insectos:
Ao acampar, borrife a sua tenda do lado de fora com vinagre, para repelir insetos.
24. Remove Autocolantes do Automóvel:
Retire os autocolantes que já não gosta de ver nas janelas do seu carro com um pano embebido de vinagre.
25. Limpa Estofos de Automóvel:
Combine quatro partes de água e uma parte de vinagre na área suja.
26. Limpa Peças Cromadas:
O vinagre branco tanto pode remover a ferrugem como para polir peças cromadas.

VINAGRE COMO PROMOTOR DE SAÚDE
Pequenos problemas de saúde podem ser aliviados com a ajuda do vinagre.

27. Alivia as Queimaduras Solares:
Aplique na área afectada para reduzir a dor causada.
28. Reduz Comichão:
Diluir vinagre de maçã na água e lavar a zona do seu corpo com comichão.
29. Luta com os Fungos das suas Unhas:
Com persistência, embeba pregos numa tigela de sopa de vinagre branco destilado e aplique-os com um pincel nas unhas até os fungos desaparecerem.
30. Remédio para os Ouvidos de Nadadores:
Se sair da piscina com água nos ouvidos, misture uma gota de vinagre branco com uma gota de álcool para prevenir o crescimento das bactérias.
31. Acalma o Estômago:
Uma dor de estômago pode ser resolvida com água, vinagre e mistura de mel.
32. Alivia o Ácido do Refluxo Esofágico :
Mesmo que seja acético, vinagre branco pode neutralizar os ácidos do estômago, estimulando os sucos digestivos.
33.Alivia Dores de Garganta:
Mate as bactérias através da combinação de vinagre com mel.
Bebe uma colher de sopa seis vezes por dia.
34. Alivia a Tosse:
Uma maneira natural para tratar a tosse.
Basta adicionar vinagre de maçã para os quatro outros ingredientes mencionados.
35. Solução para a Caspa:
Vinagre de maçã pode fazer a caspa desaparecer depois de aplicada no couro cabeludo.
36. Remédio para Artrite:
Alguns afirmam que uma mistura de vinagre de cidra e mel pode curar artrites.
37. Desodoriza o Corpo :
O vinagre de maçã pode ser usado em vez de desodorizante.
Ele reduz o pH da pele.



Momento zen do dia




Porque sim
A razão pela qual eu falo comigo próprio é porque a minha resposta é a única que aceito.



O pensamento do dia
Não tenho medo de alturas. Tenho é medo de cair de alturas.



A lenda do dia
Geraldo Geraldes, o Sem Pavor

Esta lenda passou-se no ano de 1166, no tempo em que Évora era ainda a Yeborath árabe, para grande desgosto de D. Afonso Henriques que a desejava como ponto estratégico da reconquista de Portugal aos Mouros.

Geraldo Geraldes, um homem de origem nobre que vivia à margem da lei, era chefe de um bando de proscritos que habitavam num pequeno castelo nos arredores de Yeborath.
Conhecido também pelo Sem Pavor, Geraldo Geraldes decidiu conquistar Évora para resgatar a sua honra e o perdão para os seus homens.

Disfarçado de trovador rondou a cidade e traçou a sua estratégia de ataque à torre principal do castelo que era vigiada por um velho mouro e pela sua filha.
Numa noite, o Sem Pavor subiu sozinho à torre e matou os dois mouros, apoderando-se em silêncio da chave das portas da cidade.

Mobilizou os seus homens e atacou a cidade adormecida numa noite sem lua que, surpreendida, sucumbiu ao poder cristão.
No dia seguinte, D. Afonso Henriques recebeu surpreendido a grande novidade e tão feliz ficou que devolveu a Geraldo Geraldes as chaves da cidade, bem como a espada que ganhara, nomeando-o alcaide perpétuo de Évora.

Ainda hoje, a cidade ostenta no brasão do claustro da Sé, a figura heroica de Geraldo Geraldes e as duas cabeças dos mouros decepadas, para além de lhe dedicar a praça mais emblemática de Évora.



Boas maneiras
Passar férias com os filhos
Os carrinhos, os brinquedos, a impaciência, as esperas, são todos motivos que levam pais a desesperar.
Não desista, prepare-se com algumas regras que ajudarão a passar as ferias clamas que precisa, mas junto dos seus filhos.

1.Previna-se para as filas de trânsito, ou para as esperas mais angustiantes levando na sua carteira alguns snacks e alguns jogos.

2. Num avião lembre-se dos outros.
Corte qualquer tipo de gritarias e de correrias na entrada do avião, e na viagem.

3. Tente não forçar as crianças a estarem até tarde nos restaurantes, as crianças quando se encontram cansadas provavelmente farão mais birras e mais barulho, que noutra ocasião qualquer.

4. Se vai ficar na casa de amigos, leve arrumações para os brinquedos, ou tente sempre manter os brinquedos dos seus filhos arrumados, acabando assim por lhes demonstrar um exemplo de um comportamento correcto.

5. Se frequentar piscinas, controle os saltos dos filhos para a piscina quando estiverem mais pessoas dentro dela.
Ensine-os a respeitar o espaço e sossego dos outros.

6. Saiba a que regras poderá ceder.
O que seriam umas férias em família sem sobremesas, gelados, e até com uma luta de almofadas?
Boas Férias!



A imagem do dia


Até para a semana
Fiquem bem
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Qaa Qenymin
Artista


Masculino
Leão N. de Mensagens : 412
Idade : 116
Local : Karnak, ali para os lados do guadiana
Raça : Hobbit
Elemento : Terra/Rocha
Deus : Urano (Céu/Elevação/Perfeição)
Cor : Cinzento

MensagemAssunto: Re: O meu post de Domingo   Sex Jul 29, 2011 3:49 pm

Um flash onde de forma brilhante é ilustrada a escala do universo onde existimos.
A escala do universo



Um site brilhante onde se podem aprender com lições de um minuto inúmeras línguas de forma gratuita, com o único senão de que é em inglês.
Mas se percebes um pouco de inglês e queres aprender a arranhar o dinamarquês em 10 minutos, este é o teu site.
Linguas num minuto



O teatrinho do dia
Quantos anos tens Avó?
Olha, querida, tenho tantos que já nem lembro.
Podes saber muito rapidamente:
-Vê na parte de trás das calças!
Nas minhas está escrito, 3-4.



Momento nostálgico
Artur Agostinho era um castiço.
Ou, como o próprio dizia, «um gajo porreiro».
Aqui fica uma entrevista ao próprio

Nasceu no dia de Natal. Como é disputar atenções com o Menino Jesus?

(risos) Para mim nunca houve problema.
Houve sempre uma grande identidade entre mim e o Menino Jesus, fomos sempre muito cúmplices.

E as prendas? Nunca houve a tentação de juntar as duas prendas numa só?

Os meus pais tiveram sempre o cuidado de dar duas prendas em vez de uma.

Nasceu em Lisboa, em 1920. Como era uma infância em Campolide nessa altura?

Era uma vivência muito familiar, um tempo onde os vizinhos se conheciam todos uns aos outros.
Podíamos deixar a porta quase aberta porque não havia problemas.
Portanto, tive uma infância simpática num bairro que era característico.
Cada bairro era um universo, com a sua mística, os seus clubes desportivos e recreativos, os seus grupos de amigos, era muito interessante.

E nessa idade, sonhava ser polícia ou bombeiro na idade adulta?

Comecei a ter o sonho de locutor de rádio com 9 ou 10 anos.
Lembro-me quando o meu pai trouxe para casa o primeiro rádio.
Foi uma festa!
E eu lá ia ouvindo, a Emissora Nacional, o Rádio Clube Português e mais tarde a Rádio Renascença.
Fundamentalmente ouvia as emissões infantis, do Oliveira Cosme ou do Henrique Samorano.
Depois comecei a ouvir as emissões particulares de Lisboa:
A Voz de Lisboa, a Rádio Graça, onde apareceu a Milú.
Ouvia no Clube Português um programa humorístico que deve ter sido uns dos pioneiros do bom humor em Portugal, chamava-se «Orquestra Aldrabofona», composta por gente com muita graça.
Contavam histórias, tocavam músicas e cantava.
Uma emissão curiosa.

Começava então a imitar o que ouvia na rádio?

Comecei a fixar alguns dos locutores que foram para mim grandes referências. Fixei-me muito no Fernando Pessa, uma referência grande da Emissora Nacional antes de ter ido para a BBC.
Gostava de ouvir o Jorge Alves, outro estilo, mais animado e de variedades.
E depois havia outros, como o Bessa Leal, a Laura Rodrigues, a Maria Resende ou o João da Câmara.
Eu ouvia aquelas pessoas e sonhava vir a ser como elas.
Foi assim que começou.

E começou mesmo pela rádio.

Sim, o que foi também uma casualidade.

Em rádios amadoras?

Nasceu no bairro de Campolide a minha possibilidade de realizar o meu sonho de fazer rádio.
Eu era sócio de um clube recreativo de Lisboa, «Campolide Atlético Clube», onde aliás fiz pela 1ª vez teatro amador.

Ainda se lembra da peça?

Não me lembro, sei que tinha mais ou menos 16 anos quando me estreei como actor.
Nesses clubes, ao fim-de-semana, havia bailes, contratavam um conjunto musical e quando não havia dinheiro, os bailes eram feitos com discos.
E nessa altura, sempre que se tirava um disco e se punha outro, eu ia dizendo umas “larachas” para entreter e ganhei uma certa popularidade entre aquela população de 150 pessoas.
Até que um dia um dos amigos que ia ao clube veio-me dizer:
“Sabes, agora sou locutor numa estação que estava na Graça e que mudou para Campolide, a Rádio Luso, e eles estão à procura de locutores e tu tens muito jeito, podias experimentar”.
Eu já me tinha desinibido artisticamente e disse que iria lá e assim comecei por fazer locução 2 vezes por semana.
A certa altura queriam que fosse todos os dias mas era estudante e não podia.
Mas a história da rádio nessa altura é muito interessante porque eu estou a falar de 1938, 1939, ou seja, as vésperas da Segunda Guerra.
E os alemães e os ingleses já na altura procuravam fazer a sua propaganda através da rádio.
Através da música, as duas potências davam uma grande ajuda às estações amadoras que eram pobres, não tinham receitas, tinham os seus grupos de associados.
Então ingleses ou alemães cediam discos dos seus arquivos.
A rádio Luso, que estava com dificuldades financeiras, entrou no jogo dos alemães e eu, que era todo anglófilo, disse que não trabalhava mais na estação e passei para uma que dava auxílio aos ingleses, o Clube Radiofónico de Portugal.
Depois tive um problema com uma pessoa de lá e fui para outra que também estava a ajudar os ingleses, a rádio Peninsular, e foi assim que a minha carreira começou, mas sempre como amador.
Até que um dia fui contactado pelo director do Rádio Clube Português que me convidou para ser produtor de um programa semanal na rádio que tinha os seus estúdios na Parede e eu aceitei.
Fui fazer um programa de 15 minutos semanal que era o «Músicas e Palavras».
Passado algum tempo convidou-me para outro programa e fiz um excelente programa semanal que passava aos domingos, chamava-se «Cinema Sonoro», dedicado ao cinema, arte pela qual também me tinha apaixonado.
Entretanto, começou a aparecer a minha vida cinematográfica com o «Capas Negras». Assim, comecei a fazer muitos programas como colaborador.
Passado algum tempo o Victor Santos convidou-me para passar a fazer parte do quadro de locutores do Rádio Clube Português.
Era então a minha profissionalização como locutor.
Fui fazer parte de uma equipa de locutores constituída pelo Jaime Silva Pinto e pela Natália Correia, veja lá.

Deu-se bem com ela?

Muito bem.
Viajávamos juntos depois da emissão no comboio.
Não tínhamos automóvel.
Saíamos no Cais do Sodré, depois apanhávamos um táxi, eu deixava-a na Rua da Artilharia e eu seguia para Campolide.
Foi um tempo engraçado.

Chegou a conhecer o António Ferro, o chefe da propaganda salazarista?

Conheci.

E qual a impressão que tem dele?

Tinha uma excelente impressão, sem fazer análise do ponto de vista político.
Mas como intelectual achei-o um homem muito interessante.
Ele tinha um programa na cabeça que era tornar a Emissora Nacional popular, chegar mais ao público.
Naquele tempo, entre nós, a Emissora Nacional era muito formal, tudo no estilo engravatado.
O António Ferro quis transformar as emissões e fazer emissões sem gravata.

E como era conviver com a censura do regime?

A censura aos locutores passava um bocado ao lado.
Porque os locutores, ao contrário de hoje, só liam as notícias, não éramos nós que fabricávamos as notícias.
Portanto, as notícias eram feitas no departamento de noticiários da Emissora Nacional.
Esses noticiários eram feitos com base nas agências de notícias, eles é que preparavam, corrigiam e depois havia um sector que censurava internamente, ou seja, havia duas censuras, uma da agência de notícias e outra do regime.

E o dr. Salazar, chegou a conhecê-lo?

Cumprimentei-o uma vez numa recepção que ele fez aos funcionários públicos.
Pareceu-me um homem muito distante.
Aliás, só me lembro de uma pessoa que me tivesse impressionado com o olhar como ele me impressionou.
Um olhar gélido, frio, o Nasser, do Egipto.
Isto aconteceu quando acompanhei a selecção nacional que foi jogar ao Egipto e o presidente Nasser veio receber-nos.

No entanto, acabou não apenas por fazer rádio mas quase tudo o que mexe: cinema, televisão, publicidade, jornalismo.
Como é possível tocar todos estes instrumentos?

É uma questão de método.

Disciplina?

Sempre fui desarrumado mas disciplinado, ou seja, sou arrumado na minha desarrumação.

E as fãs? Numa altura em que não havia televisão, as fãs deviam apaixonar-se pela voz.

Sim, havia aquele encantamento do mistério, quem é esta voz?
Isso permitia situações engraçadas.
Por exemplo, apanhar o eléctrico e subitamente ouvir duas pessoas a falarem sobre mim, sem saberem que eu estava ao lado.

Nunca se meteu na conversa?

Uma vez ia em São Bento no eléctrico e vinha a ouvir uma conversa entre dois senhores.
Um dizia muito bem de mim.
O outro dizia mal e acrescentava que já tinha almoçado comigo muitas vezes e que me conhecia perfeitamente.
Então, quando cheguei ao destino, toquei a campainha para sair e disse-lhes, ao descer:
“Meus senhores, muito boa tarde, eu sou o Artur Agostinho”. (risos)

E nunca teve mulheres que queriam saber quem era a voz?

Havia muito. Escreviam muito, pediam fotografias autografadas.

E enviava?

Enviei muitas.

Chegou a ter alguma a persegui-lo?

(risos) Vale a pena abrir esse capítulo?

Esse é o capítulo interessante!

Há mulheres que se sentem apaixonadas pelos actores, mas no fundo não o estão. Estão apaixonadas pela imagem que criaram deles, pela fantasia.

Chegou-lhe a acontecer isso?

Claro, recebia muitas cartas de amor.

E nunca conheceu nenhuma dessas fãs?

Não. Sempre fui defensor de manter esse mistério.

Olhando para trás, qual foi a sua maior desilusão ou mágoa?

A minha maior desilusão foi na altura do 25 de Abril quando as pessoas tentaram colar-me ao regime político porque eu trabalhava na Emissora Nacional.
A mágoa foi a incompreensão das pessoas, umas por ingenuidade, outras por influência de terceiros.
Enfim, a Amália costumava-me dizer muitas vezes, entre as conversas nos intervalos dos espectáculos:
“Sabes, houve muita gente que me ajudou a subir na minha carreira artística. Mas quando cheguei ao topo, essas mesmas pessoas começaram a pensar na melhor forma de me deitarem abaixo.”
E isto é completamente verdade.
Portanto, com a revolução conotaram-me com a PIDE.
Como não conseguiram transformar essa mentira em verdade, aproveitaram mais tarde para me prenderem de madrugada com a acusação de que eu fazia parte de uma associação de malfeitores.
Depois ainda houve outras histórias, uma das quais envolvia a minha pessoa, vestida de padre num carro funerário, com um caixão cheio de armas... (risos).
Surreal!
Então fizeram uma reunião plenária no “Record”, houve uma moção de confiança, apareceu um sujeito a contar essa história do carro funerário e eu passei a traidor, etc., etc.
Foi assim que acabou a minha direcção de 12 anos no “Record”.

Sabe quem foram os cabecilhas dessas infâmias?

Sei. Mas não posso dizer os nomes.
Decidi não dar qualquer importância a essas pessoas.
Muitos deles vieram mais tarde pedir-me perdão.
Disse-lhes que estavam perdoados mas que não esquecia.

Voltando às boas memórias, como era Amália Rodrigues?

Uma grande artista, uma excelente companheira.
Com muito bom humor, tinha muita graça, contava histórias maravilhosas.
Mas também era uma mulher insegura, muito insegura, com medo.
Medo da morte, das doenças, de deixar de agradar às pessoas, de cantar mal, medos que ela vencia de uma maneira espectacular quando começava a actuar.

E Portugal no Mundial de 1966, memórias?

Estávamos na década de ouro do futebol português.
Tive a felicidade de viver uma época realmente extraordinária do nosso futebol.
O primeiro indício de excelência foi numa excursão do Benfica ao Brasil.
Logo a seguir o Benfica entrou a ganhar duas Taças dos Campeões Europeus no começo dos anos 60.
Em 1964, o Sporting ganha a Taça das Taças, outro feito brilhante.
E em 66 a Selecção foi ao Mundial. Não se pode desejar melhor.

E em termos comparativos, Eusébio ou Cristiano Ronaldo?

Não pode haver comparações nenhumas.
Recuso-me a comparar jogadores de épocas diferentes, com futebol e estratégias diferentes, com condições de terreno diferentes, com bolas diferentes, com tratamentos médicos aos jogadores diferentes, com alimentação e vida social diferentes.
Tudo isso pesa e não se pode comparar.

Então comparemos jogadores da mesma época, Pelé ou Eusébio?

Para os portugueses, Eusébio.
(risos) Mas, realmente, Eusébio era mais completo.
O Pelé foi um extraordinário mágico da bola, com uma capacidade de oportunidade e de esforço, ele “cheirava” o sítio certo onde estar.
O Eusébio era mais genuíno, mais humilde. Mas ambos eram grandes jogadores.

Finalmente, vamos ao cinema.
Que impacto teve o facto da voz da rádio ter aparecido nas telas?
Ou seja, estou a falar, novamente, de mulheres.

Foi um impacto altamente positivo.
Fiz «Capas Negras» e, como sabe, era um galã estudante, malandreco, pouco sério, interessado em sacar umas coisas, uns dinheiros para a sua República.
Depois, no «Leão da Estrela», era um galã de outro tipo, um bocadinho mais sofisticado.
Mas penso, apesar de tudo, que as pessoas nunca me viram como galã.
Antes como um animador, um homem divertido.

A Laura Alves, sua parceira sentimental no «Leão da Estrela», era uma mulher muito bonita.

Muito bonita.
Era uma grande actriz, uma grande mulher, uma grande companheira e as pessoas admiravam-na muito.

E o Artur Agostinho era uma pessoa namoradeira ou nem por isso?

Não, nem por isso.
Eu era um obcecado pela profissão, um fanático do trabalho.
Tive a sorte de poder trabalhar naquilo que gosto e isso nem sempre acontece.
É um milagre e fiz as coisas com paixão, de tal forma que para mim não havia horários de trabalho, nem férias, isso não significava nada.
Era capaz de pedir para faltar 2 ou 3 dias para ir a qualquer lado divertir-me, mas também se fosse necessário trabalhar 48 horas seguidas, lá estava eu.

Ainda hoje vê cinema português?

Tenho visto muito menos. Mas ainda vejo.

Manoel de Oliveira?

Vejo por uma questão de obrigação e respeito.
Um homem que chega aos 100 anos a fazer cinema, enfim, posso não concordar com algumas fórmulas cinematográficas que ele utiliza, menos dinâmicas, menos ritmadas, mas tenho um grande respeito e admiração por ele.

E se ele o convidasse para um filme?

Com certeza que aceitava. Era uma honra para mim.

Como é que vê o Portugal de hoje?

Com uma grande preocupação quanto ao futuro desta geração e das próximas. Portugal realmente vai ter uma vida complicada.
Eu vivi no Brasil seis anos, a gente sabia que era uma bagunça, mas é também um país que tem riquezas naturais.
O que é que Portugal tem?
A riqueza que poderá ter está nas suas pessoas e na formação delas.
E a formação que eu vejo da juventude, dos estudantes, não é uma formação capaz de lhes dar força, condições e ferramentas para o futuro.
Receio muito por esta geração.
Eu, que sou um optimista, vejo tudo isto com muita preocupação.
E aqueles que chegaram nesta altura aos 30 e tal, 40 anos e que deixam de ter a possibilidade de trabalhar, vão fazer o quê?
Isto numa época em que a primeira coisa que perguntam não é o que o outro sabe fazer, mas quantos anos tem.
Um disparate, claro, porque a idade é sempre relativa, eu conheço pessoas de 30 anos que são velhas e conheço homens, como o nosso realizador Manoel de Oliveira, que é jovem na cabeça.

E o Artur, que idade tem?

Tenho 87 anos.

Eu não me referia a essa idade. Referia-me à outra.

Talvez 45 ou 50 anos. (risos)

Como é a sua vida hoje?

Muito simples e fácil.
Ainda faço coisas para a televisão, mas tento adequar o papel.
Há 8-10 anos tive de meter a gravata diariamente durante quase dois anos na «Ana e os Sete», rodar todos os dias, incluindo aos sábados.
Ia para o estúdio às 8h, saía às 20h e levava o papel para estudar para a manhã seguinte.
Hoje já não posso fazer isso, é muito violento.
Além disso, escrevo para o “Record”, distraio-me um bocado na internet, faço mais companhia à família do que fazia, dou as minhas voltas, vou ver um ou outro espectáculo, vou almoçar fora com a minha mulher.
E depois tenho a escrita, que ajuda muito a preencher o tempo.

E como gostaria de ser lembrado?

Como um gajo porreiro! (risos)



São assim estes bancos de jardim

De pedra. Frios. Duros.
São assim estes bancos.
Esculturais.
São assim.
Largo de Camões. Jardim das Amoreiras.
São.
Fustigados, varridos, expostos.
São assim.
Persistem. Imóveis. Indiferentes.
São assim estes bancos.
Os de madeira apodrecem. Eles não.
São assim estes bancos de jardim.



Detalhes do quotidiano

A tranquilidade com que a senhora atravessou a rua, deu lugar ao frenesim de escapes e buzinas.
A bela arquitectura do prédio de esquina, foi tragada pelo "mamarracho" incaracterístico.
O velho candeeiro de Lisboa, traço e rasto de bom gosto, cedeu a posição a sucedâneo de bem pouca beleza.
E a noção de espaço livre...desapareceu por completo.
É quase claustrofóbico o "panorama" actual da Rua Castilho, esquina com a Braamcamp.




A imagem do dia


Até para a semana
Fiquem bem
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Qaa Qenymin
Artista


Masculino
Leão N. de Mensagens : 412
Idade : 116
Local : Karnak, ali para os lados do guadiana
Raça : Hobbit
Elemento : Terra/Rocha
Deus : Urano (Céu/Elevação/Perfeição)
Cor : Cinzento

MensagemAssunto: Re: O meu post de Domingo   Sab Ago 06, 2011 2:14 pm

Sugestão de leitura

A morte é algo de, naturalmente, fascinante.
Embora muitas vezes ocultada e afastada das conversas quotidianas, é quase sempre um tema que nos permite reflexões consistentes.
Michel Schneider no seu livro "Mortes Imaginárias" recria (parte realidade, parte ficção) as mortes de 36 autores que vão desde Pascal, Kant e Flaubert a Freud, Nabokov e Capote.
De uma enorme erudição e criatividade, recomendam-se estas historinhas cheias de vida.
Pelo seu lado, Diego Palacios Cerezales com o seu livro "Protesto Popular e Ordem Pública no século XIX e XX" conta-nos, com muito pormenor e conhecimentos, a história do uso da força pelo Estado ao controlar e reprimir as manifestações públicas colectivas neste largo período.
Um tema cheio de actualidade e uma leitura que, igualmente, se recomenda.



Cá por coisas
"A vida é feita de pequenos nadas" e "Viver é uma das coisas mais difíceis do mundo, a maioria das pessoas limita-se a existir!"



Tema do dia - As crianças e a violência

A frequência com que crianças portuguesas são maltratadas pelos pais, é qualquer coisa que envergonha uma pertença da mesma pátria.
Os nossos propagandeados brandos costumes são uma representação pública. Portas dentro, chave a trancar a porta, no domínio do lar (entendido como espaço de poder, muitas vezes levado ao absurdo conceito do absoluto), a barbaridade deste povo ainda bárbaro vem à tona, descarregando na suposta impunidade do espaço privado.
As agressões entre cônjuges, o destempero no ambiente caseiro, a violência sobre as crianças, são nódoas demasiado entranhadas e repetidas.
Muitos portugueses, demasiados portugueses, são servis e beijoqueiros na praça pública mas bárbaros insanos em suas casas.

Julgo que transportamos duas gangas culturais uma, a de continuarmos como bárbaros (o passado negreiro está-nos ainda agarrado á pele).
A outra, a de uma conceptualização clerical-cristã (deus-pátria-família) em que transformámos a família em dogma e em estrutura de poder privativo e liberto dos direitos e deveres públicos e republicanos.

Entre marido e mulher, não metas a colher.
Nos meus filhos, mando eu.
Onde canta galo, não canta galinha, são alguns dos aforismos que definem formas demasiado persistentes de conceito sobre o poder familiar.
Dando-lhe um estatuto privado de domínio e de leis, tentando imunizá-lo ao julgamento público e às regras dos direitos humanos (reservados, quando estão, para a esfera política).

Relativamente a esta nossa barbaridade portuguesa, as mulheres vão, aqui e ali, defendendo-se como podem e sabem.
Poucas vezes, mas algumas vezes.
Defendem-se ou abdicam de se defenderem.
São, de qualquer forma, escolhas (na maioria dos casos, escolhas condicionadas) de pessoas adultas.
Mas o principal atraso está perante as crianças.
Elas são vistas como não autónomas, como seres pré-determináveis.
Poucos olham a criança como um outro cidadão, um cidadão para quem temos deveres de sustentar e criar porque o metemos no mundo, mas que, como outra pessoa, não é nossa (a propriedade termina na saída do útero).
Menos ainda abdicam de os quererem formatar à sua imagem e semelhança, como propriedade privada, no mínimo, espiritualmente.
E a dependência de vida é a principal fonte da dependência do poder.
Tudo fica a depender, então, do exercício do poder de posse.

Um bárbaro, quando se encontra numa esfera de poder absoluto, é um bárbaro absoluto.
Ainda somos muitos, os bárbaros.
Como não havíamos de o ser para com os que estão na escala do domínio maior, a tender para o absoluto as crianças?
Assim, os dúplices, os agressivos, os tarados, os infantilizados, os dominadores, os castrados castradores, os de mente criminosa, os da libido desviada para parafilias, os beatos, os redentores, os proféticos, os possessos, usam e abusam das crianças por elas estarem incapacitadas de se defenderem ou sequer responderem.
Enquanto, culturalmente, não se erradicar o conceito de posse (física, económica, espiritual) sobre as crianças, como construir um sistema público eficaz para as defender das barbaridades maiores?



Momento bicui
O BPN já nos custou 2,4 mil milhões de euros.

Foi agora vendido ao BIC por 40 milhões, apesar de haver outra proposta que oferecia 100 milhões.

Luis Filipe Vieira comprou o guarda-redes Roberto por 8,5 milhões de euros ao Saragoça.

Depois de um ano de péssima exibições, o mesmo jogador foi vendido ao mesmo Saragoça, por mais 100 mil euros.

Conclusão: Luis Filipe Vieira devia ser nomeado ministro da Economia!



Boas maneiras
O homem e a gravata ou a gravata e o homem?

Depois dos sapatos e do relógio, num homem, a gravata é o acessório que mais atenção atrai.
A gravata não é só estilo, ela pode ser poderosa em termos de imagem profissional, caso o seu trabalho a possa requerer.
Quer seja por uma questão de personalidade ou moda, ou tenha um estilo moderno, urbano, clássico, elegante, a gravata deve e deve sempre ser bem usada.

Qualidade
Quando procurar uma gravata, procure idealmente uma 100% seda, forrada a musselina.
Isto porque a seda é um tecido muito resistente, especialmente em termos das cores, e nas lavagens a seco.

Onde deve terminar a gravata
É importantíssimo que a ponta da gravata termine logo a meio ou fim da fivela do cinto ou da cinta das calças.
Também não deve prender a gravata, esta deve estar solta.

Nós de gravata mais famosos
Existem inúmeros nós de gravata, mas os mais conhecidos são:
O nó americano (four-in-hand), devido à sua simplicidade.
O nó meio-windsor também é um nó muito popular, sendo um nó médio triangular.
O nó de Windsor ou inglês é um triângulo largo, ideal para colarinhos mais espaçados, sendo considerado o nó de gravata mais formal.

Que grava usar
Se é alto e magro opte por gravatas com riscas diagonais, e use um nó mais pequeno como meio-windsor.
Se tem ombros largos e um porte atlético, a gravata deve ser proporcional ao seu tamanho, por isso escolha uma gravata mais larga, em vez de uma mais fina.
Opte também por gravatas com padrões maiores.
Se preferir um estilo mais moderno, e tiver um porte mais estreito opte uma gravata mais fina.
Se estiver na dúvida sobre que grava usar numa entrevista de emprego, opte sempre pela imagem mais tradicional, algo discreto mais conservador.
As melhores opções para cores de gravatas para usar no trabalho são:
Vermelho, laranja-vermelho, coral verde, verde azeitona, lima, castanho pastel, bronze, castanho, azul, verde floresta, beringela, azul claro, rosa-castanho, púrpura.



Momentos únicos
O mais fantástico da vida é que podemos sempre dizer, a cada dia que passa, que “amanhã é um novo dia”.

Se o dia de ontem foi mau podias ter dito que “amanhã é um novo dia”.
Se o disseste e o dia de hoje continua a ser mau ou pior, podes sempre dizer “amanhã é um novo dia”.
Se o dia de amanhã for mais um dia para esquecer na tua vida, poderás voltar a dizer “amanhã é um novo dia”.

Só é preciso acreditar que “amanhã” mesmo que esse “amanhã” seja um dia distante “será um novo dia”.

Enquanto a vida nos der a possibilidade de dizer “amanhã é um outro dia”, podemos sempre corrigir os erros já cometidos e tentar fazer de esse “outro dia” um dia melhor.

Hoje, volto a dizer: “amanhã é um novo dia”!



Para memória futura
Um património da humanidade destruído pelo Taliban no Afeganistão

Bandeira Taliban
Um dos regimes fundamentalistas islâmicos mais cruéis de todos os tempos

Os Talibans, regime fundamentalista islâmico que comandou o Afeganistão entre 1996 e 2001, foi responsável por atrocidades inimagináveis, principalmente quando percebemos que estamos a falar de um grupo que actuava em nome do Islão. Assassinatos e execuções sumárias de qualquer um que fosse contra as regras mais banais do Alcorão tornaram-se corriqueiras, espalhando o terror por um país destruído por décadas de guerra.
Infelizmente, não é surpreendente saber que os Talibans tratou o maior património histórico do seu país com o mesmo desrespeito com que tratava seus cidadãos.

As paredes rochosas de Bamiyan em 1931
Por aqui passava a famosa "Rota da Seda"

E foi em nome de sua distorcida interpretação do Alcorão que um dos grandes monumentos da humanidade foi impiedosamente destruído em Março de 2001, numa série de incêndios e bombardeamentos que duraram semanas.
Estamos a falar dos "Budas de Bamiyan"

Estas lindas estátuas escavadas na pedra durante o século VI em uma parede rochosa do Vale de Bamiyan, um importante ponto de parada de viajantes da Rota da Seda, formavam um dos mais impressionantes complexos de esculturas do planeta.
No período compreendido entre o Séc. II e o Séc. IX, Bamiyan fazia parte do Reino de Ghandara, uma região repleta de Monastérios Budistas, onde a arte e a cultura indiana floresciam como em poucos lugares.

A beleza estonteante de Bamiyan

Nas encostas rochosas de Bamiyan os monges eremitas que viviam na cavernas da região esculpiram as estátuas dos Budas Vairokana e Sakiamuni, medindo respectivamente 55 e 37 metros, além de belos frescos coloridos que impressionavam todos os visitantes em trânsito entre o Leste Europeu e a China.

Frescos com 1500 anos de idade em Bamiyan


Foto de um dos bombardeamentos feitos à Bamiyan em Março de 2001

Antes e depois


Onde antes estavam as Estátuas, hoje restam apenas os nichos vazios.


A prova da intolerância estará sempre à vista em Bamiyan



A anedota do dia
A porra da conta

Um rapaz entrou numa agência bancária, dirigiu-se ao caixa e disse:

- Eu quero abrir uma porra de uma conta nessa merda desse banco.
A caixa, totalmente perplexa, respondeu:
- O senhor me perdoe, mas eu acho que não entendi.
Poderia repetir, por favor ?
- Vê se ouve dessa vez, caralho!
Eu disse que quero abrir uma porra de uma conta nessa merda de banco !
Ela pediu licença e dirigiu-se ao gerente, para informá-lo da situação francamente desagradável.
Ele concordou que ela não era obrigada a ouvir palavreado tão chulo.
O gerente se dirigiu, junto com ela, à caixa e perguntou:

- Senhor, desculpe algum problema ?

- Não tem merda de problema nenhum, porra !
Acabei de ganhar 87 milhões de euros no euromilhões e quero abrir uma porra de uma conta nessa merda de banco, caralho !

Responde o gerente...

- Sei, sei, entendo... E esta filha da puta está a dificultar??!!



A imagem do dia
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Qaa Qenymin
Artista


Masculino
Leão N. de Mensagens : 412
Idade : 116
Local : Karnak, ali para os lados do guadiana
Raça : Hobbit
Elemento : Terra/Rocha
Deus : Urano (Céu/Elevação/Perfeição)
Cor : Cinzento

MensagemAssunto: Re: O meu post de Domingo   Sex Ago 19, 2011 3:34 pm



Dicionário Feminino

Aliança = Garantia financeira.
Amante = Homem que faz tudo aquilo que o marido nunca faz.
Amor impossível = Um pretendente pobre.
Batom = Poderosa arma feminina que deixa marcas fatais.
Cansaço = Vontade de ficar sozinha.
Carteira = Principal órgão masculino.
Certeza = Quase certeza.
Confiança = Acção incompatível com os homens.
Dor de cabeça = Falta de vontade.
Extravasar = Galinhar.
Falta de atenção = Falta de presentes.
Fracasso = Perder um homem para uma mulher mais magra.
Gravidez = Investimento a longo prazo……
Mala = Membro essencial no funcionamento do corpo feminino.
Minutos = Horas, principalmente antes de sair.
Maquilhagem = Realce da beleza natural e disfarce.
Meia calça = Camada de acabamento das pernas.
Namorado = Desculpa usada para despistar homens indesejados.
Nunca = Por enquanto não…
Pílula = Medicamento usado no momento certo e suspenso no momento oportuno.
Problemas conjugais = Ausência de orgasmo.
Satisfação = Verbete desconhecido no dicionário feminino.
Seios = Sinónimo de maçaneta, pois também abrem muitas portas.
Talvez = Sim.
Terapia de grupo = uma visita a um centro comercial com as amigas.
Valorização = Flores no dia seguinte.



A arte dos batentes das portas










Momento Zen




Cá por coisas
Os filmes que eles vêem
Bancários
The color of money (A cor do dinheiro)
Turistas
Aliens ( Aliens o oitavo passageiro)
Celibatários
Home alone (Sozinho em casa)
Ladrões
Wait Untl Dark (Espera que escureça)
Oceanógrafos
The Little Mermaid (A pequena sereia)



A receita do dia e nos próximos tempos
FMI



Boas maneiras
Como viver numa casa partilhada
Nunca deixes a loiça na banca por lavar, faça disto uma religião, sempre que sujar algo lava-a de seguida.
Não monopolizes o comando da TV, pergunta sempre se podes mudar de canal e se os outros não se importam de ver o teu programa de TV.
Não batas com as portas, ou cozinhar às 3 da manha fazendo barulho com os tachos na cozinha.
Não tragas amigos para uma festa repentina sem antes ter falado sobre isso com os restantes colegas de apartamento.
Não uses as comidas, musicas, telefone, roupas, champô, sem consentimento do dono.
Quando usares algo com consentimento repõe, quando estragares algo repõe também.
Não monopolizes os espaços nos armários ou no frigorífico.
Divida as tarefas de limpeza e da colocação de lixo.
Paga as despesas e contas a horas.



Serviço público
O Alho
História
Originário da Ásia, o alho cresce no sul da Europa e na zona do Mediterrâneo, e foi sem dúvida uma das principais plantas medicinais conhecidas e cultivadas desde a Antiguidade.
Entre os tesouros descobertos no túmulo de jovem Tutankhamon, faraó do Egipto por volta de 1343 a.C., foi encontrado alho.

Não se sabe por que caminho o alho chegou ao Egipto, mas segundo fontes históricas, os operários que construíram as pirâmides recebiam uma parte do seu salário em alho, bem como uma ração diária desta planta, a fim de melhorarem a sua resistência física às doenças e às epidemias.

E por mais extraordinário que possa parecer, a primeira greve de que há memória ocorreu no Egipto em 1165 a.C., durante o reinado de Ramsés III, e teve exactamente como origem... o alho!

Segundo parece, os Hebreus que viveram no Egipto apreciavam bastante o alho, e quando do Êxodo recordavam com muita saudade os pratos de peixe, temperados com alho e cebola, que aí lhes eram servidos.
Algumas centenas de anos mais tarde, cabe à Grécia clássica fazer uso do alho como fortificante para os seus atletas.

Durante a terrível epidemia de peste que assolou Marselha na Idade-Média, conta-se que três ladrões, que tinham sido condenados a retirar das ruas os cadáveres dos mortos com a peste, continuavam de saúde apesar dos perigos de contaminação.
As autoridades da cidade prometeram-lhes a liberdade se eles revelassem qual era o segredo.
Era simplesmente que eles bebiam todas as noites uma poção de alho para se precaverem contra a peste.

Ao longo dos séculos, o alho tem sido considerado o remédio-rei contra uma grande parte das doenças, e de novo durante a peste que atingiu os bairros pobres de Londres, no século XVIII, os padres franceses que prestaram auxílio não foram contaminados porque consumiam alho diariamente.
Também durante a Segunda Guerra mundial, o alho era utilizado nos pensos com que os médicos cobriam as feridas, a fim de evitar a gangrena, além das suas propriedades protectoras a nível cardiovascular, é igualmente um poderoso agente anti-infeccioso.

Utilizações
Não é preciso fazer a apresentação do alho como condimento por excelência, a cozinha dos países mediterrânicos utiliza-a desde sempre, e não será por acaso que nestes mesmos países a percentagem de pessoas sofrendo de doenças do coração é tão inferior em relação à dos países que não utilizam tradicionalmente o alho.
A parte utilizada é o bolbo.

Há quem perfume o vinagre com alho, e também se usa alho para temperar a manteiga.
Na China, prepara-se mesmo um mel perfumado a alho.
Claro que "não há bonito sem senão", o grande defeito do alho é, todos sabemos, deixar mau hálito, que contudo é eliminado comendo logo a seguir um pouco de salsa fresca ou mastigando grãos de café.

Cultivo
No Outono, procede-se à plantação dos bulbilhos com as pontas para cima, sendo a recolha no Verão, logo a seguir à floração.
A distância entre os bolbos deve ser de cerca de 15 cm.

As virtudes do alho
As virtudes medicinais provêm de uma substância particular chamada aliina e duma enzima, a aliinase.
Quando se esmaga ou corta o alho, estas duas componentes entram em contacto e transformam-se na alicina, que é a responsável pelos efeitos terapêuticos do alho, mas também pelo seu cheiro.

O alho impede o desenvolvimento de numerosos vírus e bactérias, e também de vermes intestinais.
Contribui ainda para baixar o nível do (mau) colesterol e das gorduras no sangue e, em vários países, utiliza-se para tratar casos ligeiros de diabetes.
Constatou-se, com efeito, que o alho tanto pode ocasionar uma subida como uma descida do nível de açúcar no sangue, donde se depreende que pode ser um regularizador da insulina.

Além disto, o alho tem uma acção notável sobre o sistema imunitário, tendo-se verificado em certas regiões da China, onde se consome bastante alho, que se encontram muito menos casos de cancro, sobretudo o cancro do cólon, do que numa região vizinha onde praticamente não se come alho.

Não devemos esquecer, contudo, que em doses altas o alho pode provocar problemas de indigestão e, até, uma maior sensibilidade dos olhos à luz.
Como para todas as coisas, "no meio termo é que está a virtude"!



História
As velas e o terramoto de 1755
O terramoto de 1755 é um dos acontecimentos mais marcantes e dramáticos da História de Portugal, e mesmo o português menos interessado pelos temas históricos já ouviu, com certeza, falar sobre esse fatídico dia, tal como a posterior acção de reconstrução levada a cabo por Sebastião José de Carvalho e Melo – futuro Marquês de Pombal e ministro forte do rei D. José I.
Foi no dia 1 de Novembro, um feriado religioso dedicado a “todos-os-santos” segundo tradição católica, algo que acontece ainda hoje, que a famigerada hecatombe devastou Lisboa, privando-a de uma grande parte do seu património urbano (muitas zonas da cidade foram destruídas e muitos dos principais edifícios ficaram em ruínas) e humano (muitas lisboetas faleceram nesse dia, vítimas do terramoto propriamente dito ou das consequências dele).
Mas para que o terramoto de 1755 tivesse atingido o grau de destruição que atingiu, ao ponto de ter causado tal horror que os principais pensadores da época europeus chegaram mesmo a escrever e meditar sobre esse traumático evento (Voltaire e Kant escreveram propositadamente sobre o tema), contribuiu também o que aconteceu imediatamente a seguir ao terramoto propriamente dito.
Nesse dia, por ser um importante feriado religioso, dia de todos-os-santos, as igrejas estavam iluminadas com um número excepcional elevado de velas.
Ao ruírem os edifícios, igrejas incluídas, as velas derrubadas propiciaram e causaram incêndios de grande escala (consta que lavraram durante 5 dias sobre as ruínas da capital).
Ao deflagrar dos incêndios seguir-se-ia um maremoto, tsunami como é agora mais conhecido, que arrasou com a baixa já destruída.
Foi este misto de calamidades que realmente tornou o dia 1 de Novembro de 1755 um dos dias mais negros da nossa História.



A animação do dia


Até para a semana, fiquem bem
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Qaa Qenymin
Artista


Masculino
Leão N. de Mensagens : 412
Idade : 116
Local : Karnak, ali para os lados do guadiana
Raça : Hobbit
Elemento : Terra/Rocha
Deus : Urano (Céu/Elevação/Perfeição)
Cor : Cinzento

MensagemAssunto: Re: O meu post de Domingo   Sab Set 03, 2011 12:44 pm



Cá por coisas

Gosto da solidão
Estar só não falar com ninguém
Contudo deixem-me ser franco
Ás vezes já me sabe bem
Ouvir falar alguém
Nem que seja a voz
Do próprio Multi- Banco
Por favor
Retire o seu cartão



Pensamento do dia

Depois de amedalhado
Depois de amedrontado
Depois de amordaçado
Sinto este país
Amerdalhado



Os novos valores

Dinheiro, ganância, guerra, mentira, desemprego, violência, desumanidade.
Estes é que são os valores que estão a dar.
Estes é que são os bons valores.
Pão, paz, trabalho, justiça, humanidade, verdade, são tudo valores que passaram à história. São velhos valores, sem consumo nem cotação.
É preciso inventar novos valores.



A pergunta do dia

Se...............o lado do planeta que ficasse voltado para o Sol, rapidamente se transformaria num deserto.
As temperaturas seriam elevadíssimas e os oceanos começariam lentamente a evaporar-se.
No outro lado seria sempre noite, as temperaturas começariam a baixar de tal forma que o gelo tomaria conta de tudo.
Os oceanos gelariam.
A amplitude térmica entre um lado e outro seria tão grande que ventos fortíssimos se levantariam, impossibilitando qualquer ser vivo de o enfrentar.
A ausência da força centrífuga, proporcionada pelo movimento de rotação da Terra, faria com que a força da gravidade aumentasse, tornando absurdo o peso dos objectos.
Em pouco tempo nenhum ser vivo existiria no nosso planeta.

Pergunta macabra:
Em qual dos lados preferias morrer?



Receita do dia

Caspacho ou Gaspacho (como preferirem)

Ingredientes:
2 dentes de alho
6 tomates maduros
½ pepino
Melão
pão de véspera
água gelada
azeite vinagre e Sal qb.

Preparação:
Numa “plengana”* coloca-se o alho às rodelas e o sal e pisa-se muito bem, acrescenta-se o tomate pelado e limpo, cortado em pedacinhos muito pequenos e volta-se a pisar tudo, acrescenta-se o pepino picado e o melão cortado aos quadradinhos, tempera-se com azeite e vinagre a gosto.
Antes de servir acrescenta-se a água bem gelada, o pão cortado em cubinhos e o ingrediente secreto, seja ele qual for.
Serve-se com jaquinsinhos fritos.
* Plengana é o nome dado à tigela ou taça onde é feito o caspacho



A viajem do dia

Alguém disse que "Viajar é fugir da responsabilidade".
Também é porque nos dias de hoje em que o stres físico e psicológico é constante, o Ser Humano tem que arranjar estratégias para ultrapassar as dificuldades e sobrecargas diárias.
Mas Viajar é muito mais do que isso, principalmente para quem o faz por prazer.
Viajar é conhecer, é explorar e aprender.
Cada viagem a mais na minha vida é mais um salto para subir nela porque as imagens, as experiências vividas no seio daquelas pessoas com diferentes culturas e cheiros transformam-se em sabedoria e aumentam a minha "bagagem" enquanto pessoa.
Viajar é ganhar asas e voar.
É tornar o sonho em realidade...

Hoje dou à estampa um lugar deveras curioso que irei chamar "Aqui nasce a Arte"
Apesar de ter como idioma oficial o espanhol, o México tem mais de 60 dialectos que ainda são falados em diferentes regiões do país.
Com o passar do tempo, alguns estão desaparecendo, mas outros continuam firmes e fortes como o idioma dos astecas, o náuatle, que é inclusive ensinado em algumas escolas do país.
É nesse dialecto que Tonalá, uma pequena cidade de Jalisco, significa "lugar de onde sai o sol".
É bem verdade que ela é pequenina e mais parece um subúrbio de Guadalajara.
E sendo bem realista eu diria que não chega nem a ser muito bonita.
Aliás, é bem feia.
No entanto, dá para ir mais longe e acrescentar ao seu nome de baptismo que ali é o "lugar de onde sai a arte".




Muitas das famosas catrinas mexicanas são feitas nas oficinas deTonalá.

Tonalá nasceu como um reduto de ceramistas e actualmente abriga mais de "mil" oficinas de artesanato numa tradição que vem de geração em geração.
Grande parte dos produtos manufacturados no estado saem dali, desde vidro, cerâmica, objectos de ferro, madeira, couro, palha entre outros.

Oficina de cerâmica

Há belas peças em vidro, mas é preciso procurar com atenção pois tem uma grande mistura.

Nas ruas principais de Tonalá, todas as quintas e sábados, acontece uma grande feira de artesanato com os produtos fabricados na cidade.
É preciso andar e ver com calma, pois quase tudo que é vendido nos ateliers de Tlaquepaque e Guadalajara foi feito ali.
Vale a pena conhecer, mesmo não sendo um lugar bonito.
É um marco da cultura local. E isso já basta.

É impressionante a quantidade de oficinas, uma ao lado da outra, numa extensão de mais de três quilómetros.

COMO CHEGAR
De Guadalajara até Tonalá são menos de 30 minutos de taxi.
Também dá para ir nos autocarros turísticos que circulam por Guadalajara e arredores.
Eles saem da Plaza de los Hombres Ilustres, no centro histórico de Guadalajara em vários horários e faz uma escala em Tonalá de 40 minutos, muito rápido para quem quer explorar a feira e as oficinas de arte, mas só para conhecer é o suficiente.
Afinal, a cidade em si não é lá grande coisa, mas o que realmente interessa são as oficinas.



Boas maneiras

Dizer não, não tem de ser um desrespeito, é possível dizer não e ainda assim ser respeitador.
Quer seja no trabalho, ou até na vida social ou pessoal, a palavra não pode significar apenas respeito.
Saiba como dizer não no seu local de trabalho.

Pense antes de dizer algo
Não tem de responder logo à proposta ou pedido.
Por vezes pode parecer que a resposta tem de ser dada no momento, mas a verdade é que se for bem pensada será uma resposta mais adequada e mais realista.
Diga algo como “Honestamente estou cheio de trabalho, e vou ter de pensar nisso e dar a resposta mais tarde”.
E claro que mais tarde deve dizer a sua resposta.
Desta forma pode pensar nas suas opções, considerar o que deve considerar e dar uma resposta honesta.

Responda sempre de forma positiva
Quando lhe oferecem algo e não quer receber ou pedirem para fazer algo, não deve dizer simplesmente que não, mas sim agradecer a oportunidade ou a oferta e mesmo assim dizer que não.
Ex:”Obrigada por ter pensado em mim, mas desta vez não o vou poder ajudar porque estou cheio de trabalho”.

Sempre que for possível justifique
Para dar um tom positivo e não ser considerado arrogante justifique o porquê de dizer não.
O motivo que apresentar deve ser verdadeiro e não uma invenção porque as mentiras tem sempre pernas curtas.

Seja honesto
Para que não volte a acontecer um pedido desadequado seja claro, exponha os seus motivos e deixe a conversa por aí.
“Agradeço muito mas a minha situação profissional não me permite aceitar a sua oferta”.

Oiça a pessoa
Por vezes os colegas tendem a ficar chateados ou até indignados pelo facto de receberem um não, mas outras vezes também irão compreender.
Para que a situação seja o mais respeitosa possível, é importante que oiça o seu colega, os seus motivos e a sua reacção, com respeito e consideração pelos sentimentos dele.
Só desta forma conseguirá criar condições de trabalho de respeito e de camaradagem no local de trabalho.



Serviço público

A Água, Sais Minerais, Cloro, sódio e potássio, Cálcio e fósforo

Por que precisamos beber água?
Para que necessitamos de sais minerais, quais são suas funções?
Como obtemos os sais minerais necessários ao nosso organismo?
O que precisamos ingerir para suprir nosso organismo dos sais minerais necessários?
Primeiramente vamos falar da água.
Praticamente 70% da massa do nosso corpo é constituída de água.

Nossas células não sobreviveriam se não fossem banhadas pelos líquidos do corpo (como o sangue) compostos principalmente de água.
A água serve como meio de transporte para os nutrientes, os gases da respiração e os resíduos que serão eliminados.
A água é um dos reguladores da temperatura do nosso corpo, é indispensável no processo digestivo, tanto na absorção dos nutrientes quanto na excreção do bolo fecal, facilita a eliminação das toxinas do organismo através da urina.
O corpo necessita estar sempre muito bem hidratado.
Para manter a hidratação do corpo adequadamente, são necessários pelo menos dois litros de água diariamente.

Sais Minerais
Os sais minerais são substâncias inorgânicas que possuem funções muito importantes para o desenvolvimento e actividades do corpo humano e a falta dessas substâncias pode gerar desequilíbrios na saúde das pessoas.

Assim como as vitaminas, os sais minerais não são fabricados pelo organismo, por isso, devem ser ingeridos diariamente, nas doses necessárias.
Em geral, existem em quantidade suficiente numa alimentação sadia e variada.
Os principais sais minerais necessários ao nosso organismo são o sódio, o magnésio, o fósforo, o cálcio, o potássio, o cloro, o ferro e o iodo.
Cada um deles desempenha uma função, ou seja, serve para fazer alguma coisa relativa à nossa sobrevivência.
A relação abaixo dá uma ideia da função e também das principais fontes de alguns dos sais minerais necessários ao nosso organismo.

1 – Cloro, sódio e potássio
A função destes elementos, entre outras, é ajudar no funcionamento das células nervosas e regular a entrada e saída de água das células em geral.
A fonte de cloro e de sódio é o nosso famoso sal de cozinha (cloreto de sódio).
Potássio a gente obtém nas bananas e nas frutas cítricas.

2 – Cálcio e fósforo
Actuam na formação dos ossos e dos dentes (a absorção do cálcio é auxiliada pela vitamina D e pelos raios solares)
São encontrados no leite e derivados (iogurte, queijo), na batata-doce, alface, brócolos e laranja.

3 – Ferro
É indispensável na fabricação dos glóbulos vermelhos do sangue (hemácias).
A falta de ferro causa anemia.
Fontes de ferro são alimentos como fígado e carnes vermelhas, feijão, espinafre e ervilha.

4 - Iodo
Necessário para o funcionamento da glândula tiróide (se faltar, a glândula aumenta de tamanho, e a pessoa fica com papeira, também chamada de bócio).
Existe nos peixes e frutos do mar.
Além disso, os fabricantes são obrigados, por lei, a acrescentar iodo ao sal de cozinha para prevenir o bócio.

5 – Magnésio
É elemento formador da clorofila, o magnésio actua em várias reacções químicas juntamente com enzimas e vitaminas, ajuda na formação dos ossos e no funcionamento de nervos e músculos.
É encontrado nas hortaliças de folhas verdes, nos cereais, nos peixes, carnes em geral, ovos, feijão, soja e banana.
Por isso cuidem-se.



O livro do dia
"Um mundo deste tamanho" de Petro Cotrim

Astrónomo amador há mais de 20 anos, realizou inúmeras observações astronómicas e palestras sobre astronomia e ciência para audiências como a British Historical Society, a American Society of Journalists and Authors, a Canon e a Kodak, bem como workshops de ciência para crianças de todas as idades.
Participa regularmente no programa Ciência Viva, organizado pelo Ministério da Ciência e Tecnologia, e foi um dos colaboradores portugueses na celebração do Ano Internacional da Astronomia, ocorrida em 2009.
Habituado a ouvir todo o tipo de perguntas sobre os fenómenos astronómicos, reuniu e abordou neste livro uma boa parte das questões que lhe foram colocadas ao longo destes anos.

O livro "Um mundo deste tamanho" do Petro Cotrim está cheio de curiosidades fantásticas.
A primeira curiosidade prende-se com um episódio que ocorreu em 1994 na cidade de Los Angeles.
A grande metrópole teve um problema de abastecimento de energia e ficou totalmente às escuras.
Passado pouco tempo da luz ter ido a baixo os serviços de protecção civil começaram a receber dezenas de telefonemas intrigantes de pessoas a perguntar que luzes estranhas eram as que viam no céu.
Só passado algum tempo os responsáveis perceberam que não havia problema nenhum e as luzes que as pessoas estavam a ver não eram mais do que... o céu estrelado!!!
Impressionante como a vida moderna por vezes afasta tanto as pessoas do mundo que as rodeia...
Não admira que muitas se sintam, literalmente, alienadas!



Disponível em inglês, francês e espanhol, Zac Browser é um navegador de Internet desenhado para crianças com problemas de autismo.
Nos três primeiros dias, foram feitos 50.000 downloads.
Já está na terceira versão.
O navegador é gratuito e elimina todas as distracções que possam fazer perder a atenção e interesse ao usuário.
Jogos, vídeos, exercícios educativos, músicas infantis, histórias… tudo em ecrã completo e assegurando que o conteúdo está indicado para o público infantil.
Uma excelente ideia do John LeSieur, um programador informático de Las Vegas que desenvolveu o produto para seu neto autista.
Nunca iria imaginar que quase um milhão de pessoas usariam ele apenas um ano depois.
Projectos assim fazem da Internet um lugar melhor, ampliando as fronteiras para todos.
http://www.zacbrowser.com/



O vídeo do dia


Até para a semana
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Qaa Qenymin
Artista


Masculino
Leão N. de Mensagens : 412
Idade : 116
Local : Karnak, ali para os lados do guadiana
Raça : Hobbit
Elemento : Terra/Rocha
Deus : Urano (Céu/Elevação/Perfeição)
Cor : Cinzento

MensagemAssunto: Re: O meu post de Domingo   Seg Set 19, 2011 2:48 pm

Cá por coisas
Antigamente existia um serviço de recolha de viaturas abandonadas, hoje isso desapareceu. Basta circular pela cidade, por todo o lado se vê lata velha na via pública, emoldurada pelo manto de ervas que cresceu por baixo dos veículos.
O desenvolvimento? Ou a cidade de excelência?



A receita do dia
Espargos verdes com ovos

Apesar de não se tratar de nenhuma inovação de «nouvelle cuisine» e de ser de facílima execução, deixo-vos a «minha receita» preferida para cozinhar espargos verdes, apurada e melhorada após várias experiências.
Cortar a parte mais dura dos talos dos espargos (sensivelmente um terço) e parti-los com um corte horizontal.
De seguida, mergulhá-los em água A ferver com sal e deixar cozinhar durante um minuto.
Retirar imediatamente da água, cortá-los em pequenos pedaços e reservar.
Bater energicamente os ovos (de preferência com batedora de varas), juntando uma colher de sopa de natas e sal qb.

Numa frigideira anti-aderente, derreter um pouco de manteiga de boa qualidade (margarina, não!), verter os ovos, juntar os espargos e mexer constantemente com um garfo de madeira.
Retirá-los do lume ainda mal passados, juntar pimenta preta moída no momento e servir sem mais delongas.
Acompanha bem com finas torradas de pão alentejano.



O teatrinho do dia
Marido - Não posso com aquela besta do 1º esquerdo.
Tem a mania de garanhão.
Imagina que estava ali no café gabando-se de ter "comido" as mulheres todas aqui do prédio menos uma
Mulher - Ah! Isso deve ser aquela parvalhona do quinto andar.



E se Camões vivesse nos tempos, o que escreveria nos seus Lusíadas?

À rasca...espalharei por toda a parte
l
As sarnas de barões todos inchados
Eleitos pela plebe lusitana
Que agora se encontram instalados
Fazendo o que lhes dá na real gana.
Nos seus poleiros bem engalanados,
Mais do que permite a decência humana,
Olvidam-se de quanto proclamaram

Nas campanhas com que nos enganaram!

II
E também as jogadas habilidosas
Daqueles tais que foram dilatando
Contas bancárias ignominiosas,
Do Minho ao Algarve tudo devastando,
Guardam para si as coisas valiosas.
Desprezam quem de fome vai chorando!
Gritando levarei, se tiver arte.

Esta falta de vergonha a toda a parte!

III
Falam da crise grega todo o ano!
E das aflições que à Europa deram;
Calam-se aqueles que, por engano,
Votaram no refugo que elegeram!
Que a mim mete-me nojo o peito ufano
De crápulas que só enriqueceram
Com a prática de trafulhice tanta

Que andarem à solta só me espanta.

IV
E vós, ninfas do Douro onde eu nado,
Por quem sempre senti carinho ardente,
Não me deixeis agora abandonado
E concedei engenho à minha mente,
De modo a que possa, convosco ao lado,
Desmascarar de forma eloquente
Aqueles que já têm no seu gene
A besta horrível do poder perene!



E agora uma mensagem do Instituto Nacional dos Pastéis de Nata
Que se fodam! os Donuts!!



Boas maneiras
Prendas ao patrão e aos colegas

Regra geral, não se deve oferecer um presente de Natal ao patrão.
Isto porque este gesto pode ser compreendido como uma espécie de “ tentar cair nas suas boas graças”, ficando a sensação que está a tentar que ele fique na dívida para consigo.
Nem sempre é assim, mas mais vale prevenir e evitar este tipo de constrangimento.
Até porque adicionalmente poderá criar mau ambiente com os colegas.
Todavia, se oferecer um presente que tenha sido comprado em conjunto com os restantes colegas de trabalho, desde que seja um presente simbólico, e nada muito dispendioso, não há qualquer problema.

Relativamente à troca de presentes entre colegas de trabalho, o ideal é fazerem trocas de presentes cegas.
Cada pessoa compra um presente simbólico até um valor determinado, todos são colocados dentro de um saco, e posteriormente cada pessoa que participou, retira um presente às cegas.
Para além de ser um gesto mais simbólico do que outra coisa, é bom para o ambiente de trabalho, pois pode ser um momento bem divertido.
Se isto não acontecer, não há problema algum em oferecer um presente de Natal aos colegas mais chegados.
Porém, a entrega destes presentes deve ser discreta para que os outros não sintam que foram descriminados.
Por vezes o ideal é fazê-lo fora do local do trabalho.



Momento zen




Viajar

A Colina das Cruzes é um local de peregrinação que fica a cerca de 12 km ao norte da cidade de Šiauliai, no norte da Lituânia.
Não se sabe quando começou o costume de deixar cruzes no monte, mas acredita-se que as primeiras cruzes foram colocadas lá depois da Revolta de 1831.
Ao longo dos séculos, não só as cruzes, mas crucifixos gigantes, esculturas de patriotas lituanos, estátuas da Virgem Maria e milhares de pequenas efígies e rosários têm sido trazidos por peregrinos católicos.

O número de cruzes é desconhecido, mas estima-se que existiam cerca de 55.000 e 100.000.
Segundo se conta a origem desta colina deve-se a uma manifestação de luto e pesar dos familiares de lituanos, que foram enviados para a Sibéria pelos Russos, aquando da tentativa de libertação da Lituânia do domínio Russo.
Os que eram enviados para a Sibéria eram na grande maioria das vezes logo dados como mortos pelos seus familiares, que colocavam então nesse lugar uma cruz em sua memória.
A primeira cruz teria sido colocada pelo filho do dono do terreno onde se começou esta prática, que fora enviado para a Sibéria,pois era neste terreno que o senhor trabalhava e o filho considerou-o ideal para perpetuar a memória do pai.
A esta muitas cruzes se juntaram, colocadas por pessoas em idêntica situação.
De dia eram retiradas pelos Russos mas à noite a população colocava no mesmo local novamente as cruzes.













Para nunca esquecer

Pssst…. Pouco barulho…. Não está ninguém nesta sala … Creio que a podemos usar para fazer o trabalho disse o velho, abrindo a porta….

Sim, sim, parece-me bem, é arejado e espaçosa, ali há várias mesas para o material, e não podemos perder tempo que é quase lua cheia…

O velho encolheu os ombros ao comentário sobre a lua, sentou-se numa cadeira de palha e madeira africana, tirou um frasquinho e um livro grande de um saco.
Esperou.

A mulher de cabelo cor de fogo, com uma coruja no ombro parecia animada…

Passado um tempo foram chamados ao guru.
Deixaram a mensagem bem à vista?
- Sim…

Vamos lá ver então.

Liberdade de expressão é o direito de manifestar opiniões livremente.
É um conceito basilar nas democracias modernas.
O discurso livre é também apoiado pela Declaração Universal dos Direitos Humanos, especificamente no seu artigo 19, e pelo artigo 10 da Convenção Europeia dos Direitos Humanos (…) os governos podem (…) limitar formas particulares de expressão, tais como aquelas que promovam o incitamento ao ódio racial, nacional ou religioso ou ainda o apelo à violência contra um indivíduo ou uma comunidade (o que coloca em contradição de legitimidade o próprio conceito desta, visto que não existe liberdade sem a plenitude das livres ideias; o direito mais básico de um ser humano é o de gostar ou não de algo em específico, e algo tão instintivo não pode ser sequer oprimido pelo estado anti-natural de coisas (…)
Segundo a legislação internacional, as limitações ao discurso livre devem atender a três condições:
Ser baseadas na Lei, perseguir um objectivo reconhecido como legítimo, e ser necessárias à realização desse objectivo.
Dentre os objectivos considerados legítimos está a protecção dos direitos e da integridade moral de outros (protecção contra a difamação, calúnia ou injúria); a protecção da ordem pública, da segurança nacional, da saúde e do bem comum.”



A realidade de hoje

A fotografia mostra o “quarto” de um sem abrigo, algures em Lisboa.
Há muitos sem abrigo em Lisboa, para vergonha de nós todos, mas neste caso a sua localização é, pelo menos, peculiar pois o “quarto” está montado, há mais de dois meses, no átrio exterior de um prédio de luxo, vazio.

Neste Portugal de todas as singularidades temos então um prédio de luxo, numa zona nobre da cidade, prontinho há quatro ou cinco meses e que não tem um único apartamento habitado.
Não tem sequer qualquer placa ou indicação de que esteja vendido ou para venda.
Cheira a esturro…

A seguir temos um sem abrigo, ainda com uma réstia de civilização, que se deu ao trabalho de arranjar tapetes, um colchão, uma cadeira, roupa de cama, etc, tentando agarrar-se a uma última réstia de humanidade.
Trata-se de um homem ainda novo, que coxeia amparado numa canadiana, e que todos os dias se levanta por volta das 9 horas para ir “fazer pela vida”.
Às 19 – 20 horas, quando volto a passar junto ao seu “quarto”, ainda não regressou.

Depois temos as centenas de pessoas que passam por ali diariamente, e que, olhando com surpresa, desgosto ou horror, pouco mais podem fazer do que deixar um saco com roupa usada ou uma esmola.
Os poucos que individualmente poderiam fazer alguma coisa passam, atarefados, dentro de carros de vidros fumados, e não vêem nada.

Finalmente temos um “sistema” que, cada vez mais, vai rejeitando os fracos ou inadaptados.

Será este o paradigma para o nosso futuro?
Prédios de luxo vazios com mendigos a dormir à porta.



Há coisas que nunca devemos esquecer




Serviço público

O Mel
Reza a lenda que, em tempos antigos, quando um homem se apaixonava por uma mulher, raptava a eleita numa noite de lua cheia.
Durante um mês, bebiam uma mistura afrodisíaca, adocicada com muito mel.
Resultado, paixão eterna.

Que o mel é um atentado à resistência do pecado da gula, já se sabe.
Mas que já foi um poderoso «medicamento natural» para despertar avassaladoras paixões, isso, pelo menos nós, não sabíamos.

Mais um trunfo na manga para, quando depois de aplicadas todas as tácticas de sedução, o eleito ainda se mostra resistente.
Colheradas fartas de uma só vez para dentro da boca.
Lábios melosos, seguindo-se os «sintomas» pretendidos.
Esperamos que ainda resulte.

A par da lenda, o cientificamente comprovado.
É um dos alimentos mais ricos, a nível nutricional, do mundo.
O útil e agradável, unidos no mesmo frasco.
Saudável e bom. Deixa-te render!

Preciosas abelhas

O mel é um produto natural, utilizado desde tempos imemoriais pelas suas propriedades curativas, digestivas e energéticas.
Muito se deve ao facto de ser «elaborado» a partir do néctar de inúmeras flores, combinando propriedades benéficas encontradas nas mais diferentes espécies vegetais.

De acordo com a sua origem floral e regional, este alimento pode variar de tonalidade, densidade e sabor.
Em relação à cor, quanto mais escuro for o mel, mais sais minerais contém na sua composição.

Fonte de saúde

Quando ingerido, é imediatamente assimilado pelo organismo.
A glicose e a frutose passam directamente para o sangue, sem que o corpo humano precise de exercer qualquer transformação.

Além destes compostos, contém ainda substâncias importantes e indispensáveis ao organismo como cálcio e fósforo (necessários para a formação e manutenção de dentes saudáveis), sódio, potássio, magnésio e ferro.
Seja qual for o seu tipo, o mel deve ser mantido num frasco de vidro bem fechado, num local seco e fresco.

Poderosa colher

São surpreendentes os valores vitamínicos do mel.
Leiam com atenção.
Um quilo deste alimento é equivalente a 50 ovos, 25 bananas, seis litros de leite, três quilos de peixe, cinco quilos de maçãs, 40 laranjas, 900 gramas de cenoura ou cinco quilos de ervilhas.
Convencidos?

Medicamento natural

É especialmente recomendado nos casos de anemia, asma, broncopneumonia, bronquite, gripe, rouquidão, tosse e até deficiências cardíacas.
O poder bactericida do mel, também está aliado às suas virtudes laxativas, melhorando significativamente o trânsito intestinal.

Ao mesmo tempo, é tido como um excelente tonificante dos músculos, tecidos, nervos e órgãos em geral.
Todos os que o ingerem com frequência, podem beneficiar de uma resistência acrescida a doenças infecciosas.



A nostalgia do dia
Coimbra




Frase do dia...
A reforma é como o horizonte:
Uma linha imaginária que recua à medida que tu avanças.



Resultado final das 7 Maravilhas da Gastronomia Portuguesa

Há dez anos a Gastronomia foi considerada património imaterial de Portugal, alcançando o estatuto de valor cultural que define a nossa identidade enquanto povo.
Hoje prestamos uma justa homenagem a este património único dos portugueses, que resulta dos hábitos que gerações aperfeiçoaram ao longo dos tempos.

A alheira de Mirandela
O queijo Serra da Estrela
O caldo verde
O arroz de marisco
A sardinha assada
O leitão da Bairrada e o pastel de Belém foram ontem eleitos como as '7 Maravilhas da Gastronomia nacional.



O vídeo do dia
Blik, o amor de um miúdo por uma miúda


Fiquem bem, até para a semana

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Fundador (ex-Váli)
Deus(a) do Sol (administração)


Masculino
Áries Cobra
N. de Mensagens : 2041
Idade : 27
Local : Lisboa
Raça : Ent/Povo das Árvores
Elemento : Madeira
Deus : Poseidon (Mar/Ideologia/Sonho)
Cor : Verde

MensagemAssunto: Re: O meu post de Domingo   Seg Set 19, 2011 6:18 pm

Qaa não fiques ofendido comigo mas os teus tópicos são sempre muito grandes Shocked no entanto tem alguma informação interessante pelo meio e das quais poderiam surgir vários outros tópicos. Podias fazer um favor ao pessoal e ir postando ao poucos ao longo da semana ou tentar fazer algo mais resumido, sff.

Já com o topico das efemérides a mesma coisa.

Fica bem
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://folklusitania.heavenforum.com
Qaa Qenymin
Artista


Masculino
Leão N. de Mensagens : 412
Idade : 116
Local : Karnak, ali para os lados do guadiana
Raça : Hobbit
Elemento : Terra/Rocha
Deus : Urano (Céu/Elevação/Perfeição)
Cor : Cinzento

MensagemAssunto: Re: O meu post de Domingo   Seg Set 19, 2011 7:56 pm

Váli escreveu:
Qaa não fiques ofendido comigo mas os teus tópicos são sempre muito grandes Shocked no entanto tem alguma informação interessante pelo meio e das quais poderiam surgir vários outros tópicos. Podias fazer um favor ao pessoal e ir postando ao poucos ao longo da semana ou tentar fazer algo mais resumido, sff.

Já com o tópico das efemérides a mesma coisa.

Fica bem

Porque ficaria ofendido contigo?
Tudo na paz.

Quanto aos tópicos serem grandes, tem uma explicação.
Na minha óptica não faz sentido tópicos semanais como este ser só de dois temas ou mesmo três.
Quanto ás efemérides não há nada a fazer.
São efemérides do dia e nele cabe o que se passou nesse dia noutros tempos.
E mesmo assim, não ponho mais porque ás vezes não me apetece.

Quanto a esse ""Podias fazer um favor ao pessoal"" fico surpreso, pois as respostas que tenho são tão escassas que não devem molestar seja quem for.

Portanto amigo Váli, nada feito.
Mas agradeço o cuidado e na próxima farei ainda maiores lol!

Fica bem
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Urânia
Rei/Rainha


Feminino
Câncer Tigre
N. de Mensagens : 1298
Idade : 30
Raça : Elfo
Elemento : Ar
Deus : Urano (Céu/Elevação/Perfeição)
Cor : Verde

MensagemAssunto: Re: O meu post de Domingo   Seg Set 19, 2011 8:02 pm

Váli escreveu:
Qaa não fiques ofendido comigo mas os teus tópicos são sempre muito grandes Shocked no entanto tem alguma informação interessante pelo meio e das quais poderiam surgir vários outros tópicos. Podias fazer um favor ao pessoal e ir postando ao poucos ao longo da semana ou tentar fazer algo mais resumido, sff.

Já com o topico das efemérides a mesma coisa.

Fica bem

Yah, precisamente. A meu ver, ou contribuis com pequenos textos em contexto dos tópicos que já existem...ou então, ninguém lê um post destes com esta extensão. É cansativo.

Acho que seria óptimo que contribuisses com ideias curtas e concisas.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Floresta
Herói/Heroína mitológic@


Masculino
Escorpião Cobra
N. de Mensagens : 2477
Idade : 27
Local : Lisboa
Raça : Ent/Povo das Árvores
Elemento : Terra/Rocha
Deus : Cronos (Tempo/Ordem/Lei)
Cor : Preto

MensagemAssunto: Re: O meu post de Domingo   Seg Set 19, 2011 8:11 pm

Qaa Qenymin escreveu:
as respostas que tenho são tão escassas que não devem molestar seja quem for.

As respostas são escassas porque ninguém se dá ao trabalho de ler!

_________________
Si Roma cadit, sic omnis terrae!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Qaa Qenymin
Artista


Masculino
Leão N. de Mensagens : 412
Idade : 116
Local : Karnak, ali para os lados do guadiana
Raça : Hobbit
Elemento : Terra/Rocha
Deus : Urano (Céu/Elevação/Perfeição)
Cor : Cinzento

MensagemAssunto: Re: O meu post de Domingo   Seg Set 19, 2011 10:26 pm

Floresta, Ex-Odal escreveu:
Qaa Qenymin escreveu:
as respostas que tenho são tão escassas que não devem molestar seja quem for.

As respostas são escassas porque ninguém se dá ao trabalho de ler!

O que tu queres sei eu, mas não estou virado para ai.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Ceinwyn
Deus(a) da Lua (moderação)


Feminino
Leão Tigre
N. de Mensagens : 3936
Idade : 30
Raça : Gárgula
Elemento : Terra/Rocha
Deus : Ares (Guerra/Heroísmo/Conquista)
Cor : Vermelho

MensagemAssunto: Re: O meu post de Domingo   Ter Set 20, 2011 12:24 pm

Qaa Qenymin escreveu:
Floresta, Ex-Odal escreveu:
Qaa Qenymin escreveu:
as respostas que tenho são tão escassas que não devem molestar seja quem for.

As respostas são escassas porque ninguém se dá ao trabalho de ler!

O que tu queres sei eu, mas não estou virado para ai.
Na verdade, as respostas são escassas precisamente por isso. Posts muito grandes complicam a leitura e por isso pode haver quem desista de ver tópicos como este. Nem sempre se pode despender meia-hora para ler um só post e, pelo menos para mim, estes mais off-topic perdem prioridade nesse caso.

Os posts são teus e deves organizá-los como melhor entenderes, mas, se te fosse possível reduzir ou dividir, penso que ficávamos todos a ganhar.

(Refiro-me a este tópico em particular. O das efemérides parece maior do que é por causa das imagens, mas até tem pouco texto.)

_________________

Certe canzoni attraversano le mura con sacre ironie e parlano, senza parole, quell'unica lingua ch'è il suono.

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Qaa Qenymin
Artista


Masculino
Leão N. de Mensagens : 412
Idade : 116
Local : Karnak, ali para os lados do guadiana
Raça : Hobbit
Elemento : Terra/Rocha
Deus : Urano (Céu/Elevação/Perfeição)
Cor : Cinzento

MensagemAssunto: Re: O meu post de Domingo   Ter Out 04, 2011 2:46 pm

A pedido da várias famílias, encurtei dois artigos.

Serviço público

Noções importantes sobre carjacking



Carjackers - Predadores em busca da melhor presa

Os criminosos não escolhem sexo, idade ou raça, mas sim a presa mais vulnerável a um ataque, sendo que existem factores que aumentam as chances deste tipo de crime ocorrer, nomeadamente a predilecção por carros de luxo (que são facilmente vendidos inteiros ou em peças) e o local onde a vítima está:

- Cruzamentos controlados por semáforos.

- Garagens e parques (nomeadamente de centros comerciais).

- Caixas multibanco.

- Zonas residenciais.

Como pode decorrer o carjacking?

Em andamento, a vítima pode ser abalroada (normalmente não são choques violentos) na traseira por outro veículo, e quando pára para se certificar do estrago é manietada e forçada a ceder a sua viatura.

Quando a pessoa se dirige para o carro, pode ser abordada das mais variadas formas, desde um pedido de direcção, ou logo de forma violenta (eventualmente com arma em punho).

Quando a pessoa está parada num semáforo, normalmente a abordagem é sempre violenta, quer pelo vidro dianteiro se estiver aberto ou pela porta traseira. É mais usual acontecer em locais de pouco movimento e à noite.

Como fazer para evitar o carjacking?

Primeiro deve-se conhecer os factores de risco e a forma de actuação dos criminosos, contudo existem pequenas coisas que poderás fazer para te prevenir:

1.- Caminhar decidido para o interior da viatura, ignorando abordagens (mesmo que para pedir direcções)

2.- Confie nos teus instintos e se te parecer que a situação é ameaçadora, não hesites e entra na viatura, tranca as portas e arranca

3.- Mantém as portas e as janelas fechadas

4.- Quando se aproxima de um cruzamento mantêm uma certa distância que te permite manobrar o carro em caso de situação de alarme

5.- Evita conduzir sozinho

6.- Não pares para assistir um desconhecido que tenha o carro avariado

7.- Evita estacionar em zonas ermas e escuras

8.- Não deixes objectos de valor à mostra

9.- Separa a chave do carro das restantes, pois a maior parte das vezes são os carjackers que tiram a chave à vítima, podendo tirar a errada e mediante esse percalço abortar o roubo.

10.- Usa sistemas que permitam localizar a viatura via satélite, recorrendo aos sistemas de GPS e também equipamentos de imobilização do carro accionados por telemóvel

Se tiveres a infelicidade de ser atacado, nunca olhe nos olhos quem te está a atacar.

Tenta memorizar sinais que possa levar à prisão do assaltante.

Não tentes resistir.



Boas maneiras

Sejas um exemplo positivo
Não se podem deixar de ver este vídeo com um olhar de "é de facto verdade".
O exemplo, quando é bom, é uma virtude.
Nada como começar por quem mais absorve os exemplos, sejam eles bons ou maus.
Sejas um exemplo para quem te rodeia, acredita, isso fará o mundo melhor.




Por esse mundo
É correto dizer que nada dura para sempre, a própria natureza tem destruído alguns locais, mas actualmente a humanidade tem acelerado esse processo com seus desmatamentos e a sua poluição.
Parece que agora que ele está acelerando, mas não temos a menor idéia de como desfazer o maior conjunto de burrices da história da Terra.
Aqui ficam alguns lugares que todos deveriam ter a chance de conhecer antes que desapareçam para sempre.

Kauai, a ilha sem praias

Está é uma das ilhas mais ameaçadas do planeta, localizada no arquipélago do Havaí, juntamente com outras igualmente prejudicadas.
Ela já perdeu mais de 70% da sua faixa litorânea devido às erosões do solo que por sua vez vem sendo causadas por um aumento significativo do nível do mar.
Além de já ter perdido grande parte de suas praias, as florestas da ilha também estão sofrendo as consequências da ocupação humana, principalmente com o grande número de turistas.
A ilha foi utilizada para a gravação do filme Jurassic Park e é considerada um dos lugares mais chuvosos da face da Terra.

Oceano Árctico está derretendo

Um Pólo Norte sem gelo poderá tornar-se uma realidade em breve.
Icebergues enormes já desapareceram e animais como os ursos polares estão tendo cada vez mais a dificuldade de sobreviver onde alimento se torna extremamente difícil de ser encontrado.
No futuro ver um urso polar poderá ser como querer ver um mamute, dizem os mais pessimistas.
Segundo alguns pesquisadores até o fim desse século não haverá mais gelo no Árctico durante os verões.
Para deixar as coisas ainda mais críticas o Árctico tem sido vítima de gigantescos derramamentos de óleo, caça indiscriminada, pesca industrial e até de testes nucleares russos.

Província de Sichuan, onde vivem os pandas

Localizada na região montanhosa do centro-sul da China, esta província é pouco conhecida pelo nome, mas ela é o lar natural dos pandas-gigantes, uma das espécies animais mais ameaçadas de extinção (e sou obrigado a dizer que um dos animais mais incríveis que alguém pode conhecer, um carnívoro que não se alimenta de carne).
A caça e o desmatamento quase deram fim a esse local, mas nos últimos anos as leis chinesas intensificaram-se (se alguém matar um panda receberá a pena de morte) e tem ajudado recuperar esse santuário da natureza.
O maior rio da China, o Yangtze, atravessa a província tornando sua paisagem ainda mais bela, mas ele também atrai moradores, pois onde existe água também existe alguém querendo praticar a agricultura e construir cidades, por esse motivo Sichuan está na lista, ela poderá ser totalmente substituída por uma floresta de edifícios e quilómetros de plantações e criações de animais muito em breve.
Actualmente restam cerca de 30000 km² para os pandas habitarem.

Kilimanjaro, um dos lugares mais quentes do mundo

Kilimanjaro é o ponto mais alto de África, com uma altitude de 5.891metros, e o seu nome significa “montanha branca”, pois é um dos climas mais quentes do mundo.
O gelo que derrete e forma os vários rios sustenta todo um complexo formado pela montanha, por várias florestas e por uma fauna exuberante incluindo muitas espécies ameaçadas de extinção.
No ano de 1973 o lugar passou a ser considerado um Parque Nacional, portanto é protegido pela lei.
A UNESCO anexou o parque na lista dos locais que são Património da Humanidade em 1987.
O degelo de Kilimanjaro já é uma realidade.
Estimadas em cerca 12 km² de extensão em 1900, hoje elas cobrem apenas 2 km² e neste ritmo terão desaparecido até o ano de 2020.
As teorias de Aquecimento Global não explicam o derreter tão rápido (várias vezes mais acelerado que o das calotas polares ou de outras montanhas ao redor do mundo).
Pesquisadores acreditam que uma das causas pode ser a actividade vulcânica, que se manifesta por pequenas colunas de fumo expelidas constantemente pelo antigo vulcão.

Recifes do Caribe, cada dia mais ameaçados

Pesquisas indicam que mais de um quinto de todos os recifes do mundo já desapareceram e os mais afectados do mundo são os recifes de coral do Caribe.
Lugares que antes eram ricos em formas de vida multicolorida, hoje são paisagens moribundas, delineadas por esqueletos de calcário onde alguns poucos animais lutam para sobreviver.
Actualmente o maior problema nos mares do Caribe é a poluição, já que poucas ilhas possuem tratamento de esgoto e por isso acabam no mesmo mar.
Outro grande problema são os “turistas” que jogam lixo nas águas, pescam sem permissão e quando mergulham arrancam pedaços dos recifes para levarem uma lembrança.
Em 2009 mergulhadores descobriram que o peixe-leão, uma espécie que vêm da Ásia, estava-se alimentando dos corais e transformando-se numa praga.
Todos esses factores estão acabando com os recifes, mas a tendência é ficar ainda pior, pois com o aumento populacional aumenta também a quantidade de detritos jogados no mar, é o golpe de misericórdia dos recifes de coral.



O livro da semana

Por que a Terra é o único planeta no Sistema Solar onde a vida é conhecida?
O que controla os ventos e as correntes marinhas?
Que efeitos os vulcões e o movimento das placas tectónicas tiveram sobre o desenvolvimento e evolução da vida?
O que os fósseis nos revelam sobre o passado da Terra?

As respostas para essas e muitas outras questões encontras neste livro Sistema Terra-Vida, livro que oferece uma visão concisa e ao mesmo tempo completa dos processos da retro-alimentação entre a geosfera, a atmosfera, a hidrosfera e a biosfera.



A lenda da semana

LENDA EM VIANA DO ALENTEJO
Existe uma inscrição em latim na porta do Santuário que relata que,após a expulsão dos mouros, um lavrador arava o campo quando encontrou dentro de um pote de barro a imagem que de se vê no altar.
Diz-se que a imagem foi descoberta por Martim Vaqueiro.
Também se conta que esse homem tinha muitos bois e que vendeu alguns para ajudar na construção do Santuário.
Um dia, à noite, quando foi contar os bois, tinha o mesmo numero, como se não tivesse vendido nenhum.
Foi milagre de Nossa Senhora.



Cá por coisas

Telefonei para uma editora do grupo Leya a pedir um determinado livro que não encontrava nas livrarias.
Em vez de me responderem que o livro estava esgotado e não seria reeditado, disseram-me que esse livro era um artigo descontinuado.



Eu sou assim

Gosto muito desta frase e só não explico porquê para não estragar este vosso momento de leitura:

«Ter firmeza de carácter é ter sentido os efeitos dos outros sobre si próprio; portanto, os outros fazem falta.»
Stendhal



Pela tua saúde

A caspa
Normalmente, nossa pele da cabeça renova-se periodicamente (geralmente de quatro em quatro semanas).
Em condições normais e saudáveis do couro cabeludo o processo de renovação é imperceptível.

Quando as células de pele no couro cabeludo se renovam, as velhas sofrem descamação e se desprendem.
A caspa ocorre devido a uma aceleração desse processo, onde ocorre um crescimento exagerado das células que juntamente como o sebo produzido, acção de fungos causam o agravamento.
Assim, essas células, por sua vez, tendem a se agrupar e a absorver os óleos produzidos pelos folículos capilares, fazendo com que os “flocos” que seriam microscópicos, se tornem grandes o suficiente para serem vistos a olho nu, como embaraçosos flocos brancos!

Um grande vilão pode ser o fungo Malassezia.
Ele é um habitante normal da cabeça de um ser humano saudável, alimenta-se dos óleos gordurosos pelos folículos pilosos no couro cabeludo.
Nalgumas pessoas, ele pode crescer descontroladamente, causando uma irritação que acelera a troca das células no couro cabeludo. é uma forma do corpo de se defender da acção do inimigo.

Normalmente, acontece assim:
A glândula sebácea é a responsável pela produção do sebo que lubrifica a superfície do nosso couro cabeludo.
Geralmente, por questões genéticas, a pessoa que tem predisposição à caspa produz mais gordura que o normal.
Esse sebo chega à superfície da pele pelo folículo piloso, a estrutura pela qual saem os fios de cabelo ou pelos.
A secreção gordurosa fica acumulada no couro cabeludo, deixando o cabelo oleoso.
A oleosidade causa uma inflamação do couro cabeludo (dermatite seborreica).
Pessoas com essa predisposição genética também podem desenvolver o fungo Malassezia (Pityrosporum ovale), que agrava o quadro.
E por fim, o processo inflamatório causa coceira, vermelhidão e descamação, que solta partículas brancas do couro cabeludo.
As causas da caspa são inúmeras que vão desde de alimentação incorrecta e uso de champôs indevidos até doenças como psoríase, por exemplo.



Momento zen




A receita do dia

Açorda Alentejana de Bacalhau

Ingredientes:
4 dl azeite
Vinagre e sal q.b.
4 lombos de bacalhau
400 gr de pão alentejano
4 ovos
2 litros de água
6 dentes de alho
1 molho de coentros

Preparação:
Num recipiente alto, coloca os coentros previamente lavados e escolhidos, os dentes de alho, o sal e o azeite.
Com a varinha mágica tritura muito bem todos os ingredientes até ficarem em papa.
Pôr água ao lume, depois de estar a ferver aplica um fiozinho de azeite, e coze o bacalhau durante mais ou menos 5 minutos.
Pôr ao lume uma caçarola com água e um pouco de vinagre.
Quando a água estiver a ferver escalfa os ovos que irás utilizar na açorda.
Logo que os ovos estejam no ponto, retira-os e coloca-os num recipiente com água fria, afim de parar a cozedura.
Coloca a papa dos coentros dentro de uma terrina, verte a água onde cozeu o bacalhau que deverá estar a ferver (se não quiseres poderás juntar apenas água fervida, ou a água onde escalfas-te os ovos).
Rectifique de sal, mete o pão alentejano cortado muito fininho dentro do prato, e depois os ovos e o bacalhau.
Bom apetite



A imagem da semana
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: O meu post de Domingo   Hoje à(s) 12:16 am

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
O meu post de Domingo
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 2 de 2Ir à página : Anterior  1, 2
 Tópicos similares
-
» Faça-me um favor! - Missão one-post interna mediana para Steve C. Wizard
» O servidor ia voltar domingo porem....
» Correio – missão one-post mediana externa [Drake Stark]
» ๑۩۞۩๑ Simbolos para o chat ou post ๑۩۞۩๑
» ▬ O Item de Argos ▬ Missão One-post para Augusto Winehouse

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Folk Lusitânia :: Parte Sul :: Masmorras-
Ir para: